Argentina

Cenas lamentáveis fecham história de jogo maluco entre Boca Juniors e Unión no Argentino

Briga generalizada teve show de cartões amarelos e uma expulsão no fim do segundo tempo

O Boca Juniors perdeu uma grande chance de se firmar na ponta da tabela da Liga Argentina. Na noite de sexta-feira (24), o duelo dos xeneize contra o Unión Santa Fe em La Bombonera teve de tudo, e terminou com vitória dos visitantes, por 2 a 1, graças a um pênalti aos 115 minutos.

A equipe de Sebastián Battaglia tem sofrido para impor sua superioridade ao longo dessa temporada. Essa dificuldade para fluir o jogo ficou clara ao longo da primeira etapa. Fazendo valer seu papel de mandante, o Boca quase abriu o marcador com Eduardo Salvio, em um rebote, mas a bola passou raspando a trave.

Recuperado do susto, o Unión deu o primeiro golpe aos 25, com Daniel Juárez, de pênalti. O gol irritou o Boca, que tomou as ações do jogo e passou a pressionar ostensivamente. O empate não demorou a vir: aos 40′, outro pênalti, agora para o time da casa. Eduardo Salvio deixou tudo igual.

Na segunda etapa, o clima estava morno, mas com predominância do Boca. Ao todo, foram 11 chutes xeneizes, mas apenas 4 na direção do gol. Do outro lado, o Unión sabia que precisaria ser bastante eficiente quando tivesse a chance. O duelo desenrolou e encaminhou para um empate, mas nos acréscimos da segunda etapa, quando o relógio marcava o 96º minuto, tudo saiu de controle no gramado da Bombonera.

Tudo por causa de um pênalti de Carlos Izquierdoz, que já tinha cartão amarelo e acabou expulso por uma solada em cima da risca da grande área. O cartão vermelho foi o passaporte para o caos: na hora da cobrança, Franco Troyansky bateu mal e Javier García salvou. No entanto, uma invasão de área anulou o lance. Uma série de discussões começaram em campo, e o árbitro Yael Falcón Pérez se perdeu completamente. Amarelou Frank Fabra e Carlos Zambrano em menos de um minuto. Houve tempo para que Emmanuel Brítez, do Unión, também visse um cartão amarelo.

Na segunda tentativa, Troyansky não vacilou e acertou o ângulo da meta de García. Na comemoração, o atacante tirou a camisa e imitou a célebre comemoração de Lionel Messi, mostrando seu número para a torcida na arquibancada atrás do gol. Nesse momento, a discussão subiu de tom e se transformou em briga, na qual Troyanski escapou apenas com um cartão amarelo e alguns empurrões. Com 15 minutos de acréscimo, o árbitro finalmente colocou um ponto final na partida, confirmando a derrota dos locais.

O Boca fica em terceiro lugar na tabela, com nove pontos, e pode ser ultrapassado por Platense, Estudiantes e Independiente até o fim da rodada. O Unión estacionou na nona colocação.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo