Argentina

A segunda-feira no Campeonato Argentino teve dois gols espetaculares em chutes de primeira

Emanuel Coronel e Nahuel Barrios marcaram gols lindíssimos numa rodada cheia de pinturas na Argentina

Segunda-feira também é dia de Campeonato Argentino, e com a noite cheia. Foram nada menos que cinco partidas no complemento da décima rodada. E dois empates contaram com gols particularmente espetaculares. Emanuel Coronel, do Banfield, e Nahuel Barrios, do San Lorenzo, deram aulas sobre como pegar uma bola de primeira. Lances lindíssimos, cada um com sua particularidade.

O San Lorenzo empatou por 1 a 1 com o Talleres dentro do Nuevo Gasómetro. Depois que os cordobeses abriram o placar aos dez minutos, com Matías Catalán, tiveram Enzo Díaz expulso e o Ciclón perdeu um pênalti no fim do primeiro tempo com Adam Bareiro. A pressão azulgrana teve que se estender durante toda a segunda etapa, até que Barrios surgisse como herói aos 45 minutos. A bola sobrou na entrada da área e o ponta mandou uma sapatada de primeira, sem nem deixar cair. Estufou as redes bem no ângulo.

Já no Estádio Florencio Sola, o Banfield saiu em vantagem no 1 a 1 contra o Argentinos Juniors. Coronel produziu sua obra de arte aos 39 minutos. Depois de uma falta afastada parcialmente, o lateral encheu o pé do bico da grande área. A tacada de sinuca passou no meio de quatro pernas, enquanto queimava a grama com efeito. Caprichosa, beijou a trave antes de entrar. No segundo tempo, Luis Mago quase fez outro golaço de primeira, mas a bola explodiu no travessão. O Bicho Colorado só foi empatar aos 56 do segundo tempo, num pênalti convertido por Miguel Torren.

Este resultado garantiu um líder isolado ao Campeonato Argentino. O Atlético Tucumán ocupa a ponta com 22 pontos, ainda invicto e só com três gols sofridos em dez partidas. Os albicelestes venceram seus últimos cinco jogos. O Argentinos Juniors fica em segundo com 20 pontos. Logo abaixo, o bolo é maior. San Lorenzo e Banfield ocupam posições intermediárias, entre o 13° e o 14° lugar, ambos com 13 pontos.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo