Argentina

A grande brincadeira de Grondona

Maradona tem sido citado em todas as conversas sobre futebol de uma semana para cá. Não é à toa. Trata-se de um dos maiores jogadores da história e que assume o cargo de treinador da seleção argentina com um currículo ruim nessa profissão. As duas únicas experiências como técnico aconteceram na própria Argentina, na década de 90. Primeiro no Deportivo Mandiyú, time com o qual começou a trabalhar em outubro de 1994. Nessa equipe, Maradona conseguiu uma vitória, seis empates e cinco derrotas. Foi com esses números fracos que Diego saiu do clube de Corrientes, antes do encerramento do Apertura. Aliás, o Deportivo acabaria sendo rebaixado ao final da temporada. A segunda chance de Maradona foi dada pelo Racing, um dos cinco grandes do país. Diego chegou a Avellaneda em maio de 1995 e obteve números parecidos: dois triunfos, seis empates e três derrotas.

E não é só o currículo de Maradona que preocupa. Sua chegada ocorre em um momento difícil da seleção. Nas últimas oito partidas, foram obtidos uma vitória, seis empates e uma derrota. Se um técnico mais credenciado fosse contratado, provavelmente esta situação seria mais facilmente administrada.

Com certeza, não era Maradona o preferido da população argentina para assumir a seleção. Segundo uma pesquisa feita pelo site do jornal “La Nación”, que está no ar desde o dia 28 de outubro, 74,14% acham que a decisão da AFA de escolher Maradona foi errada. As outras opções que tiveram voto foram as seguintes: ‘questionável’ (11,20%), ‘acertada’ (9,03%) e ‘compreensível’ (5,63%). Já foram computados 16.975 votos. Quem deve estar incluído no grupo dos que gostaram da contratação de Maradona é o atacante Agüero, genro do técnico.

Agora é tarde para Julio Grondona, presidente da AFA, mudar de idéia. Maradona já foi escolhido para substituir Basile e será apresentado oficialmente nesta terça-feira, junto com Carlos Bilardo (secretário geral), Sergio Batista (técnico assistente) e José Luis Brown (técnico assistente). Pelo menos Maradona terá pessoas competentes na retaguarda e que são bem conhecidas dele. Bilardo foi o comandante da Argentina na conquista da Copa do Mundo de 1986 e faturou o Metropolitano de 1982, pelo Estudiantes. Batista acabou de ganhar a medalha de ouro na Olimpíada. Brown não tem nenhum grande trabalho como técnico, mas conhece bem seus colegas. Ele, assim como Batista e Maradona, era atleta de Bilardo na campanha da Copa de 1986.

Nesta terça-feira, haverá ainda o anúncio da primeira convocação de Maradona. Sua estréia acontecerá no próximo dia 19, em Glasgow, diante da Escócia. Curiosamente, foi justamente contra a Escócia, em Glasgow, que Maradona marcou seu primeiro gol com a camisa da Argentina. A partida foi disputada em 1979 e a seleção ‘albiceleste’ ganhou por 3 x 1.

Apertura pegando fogo

Quando terminou a décima rodada do Apertura, o San Lorenzo liderava a competição com 25 pontos. Seu perseguidor mais próximo era o Tigre, com 20, e o Boca estava na quarta posição, com 17. Hoje, disputadas 13 rodadas, estas três equipes dividem o primeiro lugar. Cada uma tem 26 pontos.

Um dos jogos da 13ª. rodada reuniu exatamente Boca e San Lorenzo, em La Bombonera. O Ciclón entrou em campo com duas partidas seguidas sem triunfo (derrota para o Racing e empate com o Gimnasia La Plata, na quarta-feira passada) e os Xeneizes acumulavam três vitórias consecutivas. Com um gol de Riquelme, o Boca derrotou o rival e chegou à primeira colocação.

Este foi o primeiro jogo do Boca depois do falecimento de Pedro Pompilio, presidente do clube. Pompilio morreu aos 58 anos, em conseqüência de um enfarto. Durante a comemoração do gol que marcou, Riquelme ergueu a camisa do time e mostrou uma camiseta em homenagem a Pompilio.

Fora de casa, o Tigre perdeu para o Argentinos Juniors, por 2 x 0. Considerando que o adversário se encontra hoje na 16ª. posição, ao lado do Banfield, o resultado foi terrível. Menos mal que o Tigre permanece na liderança. Vale lembrar que o Tigre chegou lá com o triunfo obtido na partida anterior: 1 x 0 em seu estádio, contra o Independiente. O gol foi anotado por Luna, aos 46 minutos do segundo tempo.

Néstor Gorosito, técnico do Argentinos Juniors, deu uma declaração interessante após a vitória: “Todos sabem que sou torcedor do Tigre. Sei que alguma vez vou treiná-lo. Mas agora sou leal ao clube em que trabalho”. O curioso é que Gorosito jamais jogou no Tigre.

Perseguição ao San Martín

O Talleres conseguiu uma excelente vitória na 13ª. rodada da segunda divisão: 2 x 1 contra o Los Andes, de virada, fora de casa. A equipe de Córdoba chegou aos 23 pontos e está em segundo lugar, junto com o Belgrano, o Defensa y Justicia e o Atlético Rafaela. Isso por enquanto. Afinal, o clássico Talleres x Instituto foi adiado na rodada passada e ainda não foi realizado. Quem irá torcer muito para o Instituto é o San Martín, líder da competição com 25 pontos. Visitando o All Boys, o time de San Juan ganhou por 2 x 0.

Depois de três empates seguidos, o Belgrano venceu o lanterna Platense, em Córdoba, por 2 x 1. Bustos, que entrou em campo aos 34 minutos do segundo tempo, fez o último gol da partida aos 39. Na etapa inicial, houve uma paralisação de 14 minutos, em conseqüência da falta de energia elétrica.

O Defensa y Justicia também ganhou. Em seu estádio, enfrentou o Almagro e fez 1 x 0 aos cinco minutos do primeiro tempo. Os visitantes empataram aos 44 e ficaram na frente aos sete da etapa final. Caso mantivesse o resultado, o Almagro chegaria ao segundo triunfo no campeonato. O Defensa y Justicia, no entanto, empatou aos 35 e alcançou a virada aos 44. Resta para o Almagro lamentar a permanência na penúltima colocação.

Três pontos também foram computados pelo Atlético Rafaela. Seu adversário foi o Tiro Federal, que atuou em casa. O segundo gol do Atlético, responsável pelo triunfo de 2 x 1, saiu aos 43. Assim, o Atlético acabou com uma seqüência de três partidas sem vitória (um empate e duas derrotas).

Na disputa pela artilharia, Morales anotou um gol e se isolou na primeira posição. Sua equipe, o Quilmes, teve que suar bastante para derrotar o CAI (Comisión de Actividades Infantiles), na casa do adversário. Os anfitriões abriram o placar aos 20 minutos da etapa inicial e aumentaram a vantagem aos 21. Somente aos 38 minutos do segundo tempo é que o Cervecero começou a reagir, com um gol de Alemanno. Quatro minutos mais tarde, o próprio Alemanno empatou. Faltava Morales entrar em ação. Ele marcou seu nono gol na competição aos 43 e garantiu a vitória para o Quilmes.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo