Alemanha

‘Não devemos aceitar intolerantes’: Xabi Alonso faz longo discurso contra a extrema-direita

Treinador do Bayer Leverkusen, Xabi Alonso faz duras críticas ao plano de "re-imigração" proposto pelo partido de extrema-direita AfD

Xabi Alonso tem se mostrado muito mais do que um treinador promissor, mas um defensor das causas sociais. O comandante do Bayer Leverkusen, que tem encantado a Europa com um futebol ofensivo e colaborativo, aproveitou o espaço concedido em entrevista coletiva nesta terça-feira para tecer duras críticas ao plano de re-imigração proposto pelo partido de extrema-direita alemão Alternativa para a Alemanha (AfD). Em seu discurso, o treinador dos Leões deu um show à parte sobre ética e democracia.

A Alemanha se tornou reduto de vários outros povos, de pessoas que mudaram de país em busca de uma melhor opção de vida em um país desenvolvido, que durante algum tempo tem sido a base da economia na Europa. Entretanto, um projeto feito às escuras pelo partido AfD quer acabar com a miscigenação cultural alemã, criando um plano de deportação para requerentes de asilo, estrangeiros com direito de permanecer no país e cidadãos não assimilados, o que impactaria diretamente na vida de mais de 20 milhões de alemães.

Durante sua abordagem sobre o assunto, Xabi Alonso fez questão de mencionar como a Alemanha se tornou um país plural, aberto e livre para pessoas que querem mudar de vida. Falando não só em nome do Bayer Leverkusen, mas de toda a sociedade alemã, o treinador defendeu que este tipo de conduta não deve ser aceita, já que acredita que todos devem ter a oportunidade de ir e vir para fazer o seu melhor onde se sentirem bem.

Não se trata apenas do Bayer Leverkusen, mas de toda a sociedade que é muito aberta, muito internacional. É por isso que temos de defender os nossos valores. Não podemos aceitar tais slogans. Temos que acreditar que vivemos numa sociedade muito aberta, que todos têm o direito de vir aqui e fazer o melhor que podem.

Xabi Alonso fala da sua chegada à Alemanha

O treinador do Bayer Leverkusen defende o próprio direito de trabalhar no país, já que como espanhol, estaria no grupo que seria deportado do país caso o plano da extrema-direita alemã seja executado. Para Xabi Alonso, todos têm o direito de buscar melhores oportunidades na Alemanha, dar o seu melhor para sobreviver, se integrar à cultura da nação, independente do seu lugar de origem.

Xabi vai além e fala que este processo de diáspora de povos para o continente europeu sempre aconteceu e está atingindo outros países, como a Espanha, Itália e França, basta observarmos a quantidade de jogadores nascidos em outras nações que vão para a Europa e se naturalizam, globalizando cada vez mais o esporte. Para o técnico do Bayer Leverkusen, defender a liberdade de ir e vir da população que busca por uma condição mais favorável de vida é o dever de todos dentro do Velho Continente.

“Dar o melhor de mim e contribuir para a sociedade e integrar-se… Todos têm o direito de vir aqui e trazer o melhor que puderem, e abraçar esta cultura independentemente de onde venham. Mas isso não se aplica apenas a mim, mas a muitas pessoas em todo o mundo. Isto está acontecendo na Alemanha, isto está a acontecer em Espanha, isto está acontecendo na Itália e em toda a Europa. Vamos defender isso com todas as nossas forças”, indagou Xabi Alonso.

“Não para a intolerância”

O treinador do Bayer Leverkusen encerrou a entrevista destacando o poder do futebol na construção de uma sociedade igual, onde todos podem ter a mesma oportunidade, sem serem julgados por suas origens, afirmando que este tipo de discurso intolerante não pode ser considerado válido, muito menos aceito na sociedade atual, tendo em vista o nível de miscigenação alcançado na Europa e em outros lugares do mundo nos últimos tempos.

“Tenho a certeza que o futebol vai se destacar. Temos de ser firmes e não aceitar estas exigências intolerantes”

 

 

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Existe um ditado que diz que o bom filho a casa retorna não é? Pois bem, sou Lucas de Souza, redator e repórter do Futebol na Veia, de volta ao site após quatro anos, e agora redator do Trivela, um dos maiores portais de futebol do Brasil. Sou jornalista, especializado em Marketing digital e narrador do Portal Futebol Interior e também da RP2Marketing.
Botão Voltar ao topo