AlemanhaCopa da Alemanha

[Vídeo] O Magdeburgo preparou um mosaico intimidador para receber o Dortmund

O Borussia Dortmund visitou um tradicional clube da antiga Alemanha Oriental nos 16-avos de final da Copa da Alemanha. Campeão da Recopa Europeia de 1973/74 e atualmente na terceira divisão, o Magdeburgo era o desafio dos aurinegros. E embora não tenham dado muito trabalho em campo, com a goleada do time de Peter Bosz por 5 a 0, os anfitriões ofereceram o seu show. A recepção aos times em campo contou com um mosaico impressionante para intimidar os forasteiros.

Enquanto bandeiras azuis e brancas tremulavam, os sinalizadores começaram a pipocar nas arquibancadas. E, aos poucos, começou a ser revelada a imagem central: ‘Billy the Puppet’, personagem da franquia ‘Jogos Mortais’, em meio ao alvo alviazul. À medida que os fogos de artifício estouravam sobre a MDCC Arena, os olhos do boneco flamejavam, acendidos também por sinalizadores. Abaixo, uma faixa dizia: “Vocês pensam que acabou, mas os jogos estão apenas começando”.

Quando a bola rolou, porém, o Magdeburgo não conseguiu segurar o Borussia Dortmund. Os aurinegros anotaram o primeiro gol aos 41 do primeiro tempo, em bola ajeitada por Alexander Isak que Gonzalo Castro arrematou. O próprio sueco faria o segundo, seu primeiro pelo clube, abrindo a goleada que consumaria na etapa complementar. Andriy Yarmolenko, Marc Bartra e Shinji Kagawa também balançaram as redes, com destaque para o belo tento do japonês, entortando a defesa adversária. Outra boa notícia ficou para o retorno de Raphaël Guerreiro, fazendo sua estreia na temporada após permanecer os últimos quatro meses se recuperando de lesão.

No restante da rodada da Copa da Alemanha desta terça, os demais favoritos da primeira divisão confirmaram a classificação. Bayer Leverkusen, Borussia Mönchengladbach, Schalke 04 e Eintracht Frankfurt também avançaram às oitavas de final.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo