Alemanha

Um pouco de futebol e algo mais

“Nós naturalmente podemos jogar melhor” após esta declaração, Lukas Podolski, o artilheiro do time, se dirigiu aos vestiários, cabisbaixo, embora naquele momento a Alemanha tivesse acabado de conquistar uma importante vitória que levou a equipe a assegurar a vaga para a disputa das quartas-de- final da Eurocopa-08.

A sensação de que a Alemanha pode fazer mais, logicamente não é exclusiva dos jogadores. A vitória contra a Polônia parecia confirmar as iniciais expectativas de que a seleção alemã, formada especialmente por jogadores que há dois anos surpreenderam na Copa do Mundo chegaria para disputar o título.

Mas o primeiro revés sofrido pelo time na Euro, contra a Croácia, logo em sua segunda partida, tratou de devolver o time a uma realidade não tão animadora. A até poucos dias atrás inesperada derrota trouxe prejuízos muito maiores que os dois gols do placar. De certa forma, Ivica Olic e Darijo Srna minaram a confiança alemã construída dois anos atrás.

O sentimento de tensão que o time vivia na última partida, ficou claro nos olhos arregalados de Michael Ballack ao acompanhar a trajetória da bola, na cobrança de falta que garantiu a classificação alemã. Porém, o gol incrivelmente perdido por Mario Gómez nos primeiros minutos da partida retrata de forma mais coerente o que aconteceu na última segunda-feira, as poucas chances criadas pelo time eram desperdiçadas.

Não foi fácil como se esperava, e o jogo contra a Áustria, ao contrário do que se podia imaginar antes do início do torneio , tornou-se decisivo. A classificação enfim veio, mas como na maioria das vezes a sorte não caiu duas vezes para o mesmo lado, se o caminho alemão na fase de grupos teoricamente não era dos mais difíceis, a Alemanha terá pela frente agora a seleção portuguesa, que assim como a Holanda, mostrou o melhor futebol da competição até o momento.

Para a partida contra Portugal, a Alemanha tem problemas dentro e fora de campo. Torsten Frings sofreu uma fratura na costela e dificilmente terá condições de jogar. Tecnicamente, Gómez não repete nem de longe suas atuações na Bundesliga e Joachim Low insiste em deixá-los entre os titulares, assim como Marcel Jansen, mesmo que a melhor opção seria a de colocar Lukas Podolski no ataque e Schweinsteiger no meio campo.

Apesar de não gostar muito da idéia, o jogo contra a Áustria mostrou que o lugar de Phillip Lahm parece mesmo ser o lado esquerdo. Já Podolski sentiu uma lesão muscular na panturrilha, mas provavelmente jogará. Low, expulso de campo, ainda esperava a absolvição, mas suspenso, acompanhará a partida nas tribunas do St. Jacob Park.

Para repetir o que se viu dois anos atrás, quando a Alemanha conquistou o terceiro lugar na Copa do Mundo justamente contra Portugal. A Nationalelf precisa mostrar um futebol que parece ter esquecido, assim como o sentimento de confiança que devolveu orgulho à sua torcida.

A Áustria cumpriu seu papel

Fora da competição, mas com a sensação de missão cumprida, a Áustria passou longe de ser o saco de pancadas do torneio como boa parte da torcida imaginava. Contra a Alemanha, ainda com chances de classificação, o time chegou ao limite de suas possibilidades e saiu de campo aplaudido por sua torcida. Ao contrário da Suíça, de que se esperava a classificação.

Ao final da partida contra a Alemanha, Josef Hickersberger, que também havia sido expulso na primeira etapa, tornou-se o principal personagem da equipe. O treinador ainda não definiu se continuará no comando da equipe em busca de uma vaga na Copa do Mundo de 2010, mas prometeu aos torcedores que tomará esta decisão já na próxima semana.
 

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo