Alemanha

Situação complicada

Contra tudo e contra todas as perspectivas, o Stuttgart levantou o título da última Bundesliga com uma fórmula simples, mas muito bem planejada. Apostou na juventude, num técnico inexperiente, mas promissor, e no preparo físico, sobretudo por não disputar duas competições ao mesmo tempo.

Menos de quatro meses depois, o VfB se vê numa situação bastante complicada na tabela da Bundesliga, além de se preparar para dar adeus da Liga dos Campeões. Na competição nacional, o time ocupa a 12ª colocação, com apenas 10 pontos, resultado de três vitórias, um empate e cinco (!) derrotas. Na LC, o clube perdeu as duas primeiras partidas e só avança às oitavas-de-final com muita (mas muita mesmo) sorte. E só belisca uma vaga na Copa Uefa se somar ao menos quatro pontos contra o Lyon nos próximos dois jogos. Ou seja: situação complicada.

A única explicação para um começo de temporada tão ruim é justamente o próprio título conquistado na última temporada. Quem vê o time como um todo, sem falar em cada jogador individualmente, tem a impressão de que as comemorações acabaram de terminar. Prova disso, nenhum dos principais jogadores do time têm rendido à altura que se espera – em relação à campanha vitoriosa. Isso se aplica a Meira, Tasci, Gómez, Hilbert, Kedira, entre outros. Muito disso em função das pesadas críticas a que muitos deles, ainda não acostumados à pressão excessiva, têm sido expostos.

Além disso, os reforços que chegaram ainda não mostraram para que vieram. A impressão geral é que ainda não se integraram com o elenco, mas o rendimento individual também decepciona. Schäfer não é uma sombra do bom goleiro que ajudou o Nuremberg a chegar ao título da Copa da Alemanha. Bastürk passa mais tempo no departamento médico que nos campos de treinamento. Marica, o mais caro jogador da história do Stuttgart, parece não ter se adaptado ao país. E Éwerthon anda com problemas sérios para se manter no peso ideal. “De fato, nossos reforços não estão rendendo o que esperávamos”, constata Horst Held, diretor de futebol do clube.

Pode até ser cedo para apontar tendências, mas parece claro que, com menos de três meses da atual temporada, o Stuttgart já está fora da briga pelo título. Parece impossível que o time consiga reverter um diferença que já é de 13 pontos para o líder Bayern. Tão difícil quanto isso é imaginar que o time consiga se colocar na briga pela próxima Liga dos Campeões – mas não impossível.

No cenário ideal, o time precisa se concentrar na Bundesliga para sonhar com passos mais longos na próxima temporada. Caso contrário, o time retomará em tempo recorde a situação de meio de tabela em que se encontrava alguns anos atrás.

No time do Toni…

Quando foi anunciada a contratação de Luca Toni pelo Bayern de Munique, muita gente estranhou sua ida para o clube e outros achavam que era uma loucura um atacante com mercado nos principais clubes da Itália se arriscar num país como a Alemanha. O ex-atacante da Fiorentina precisou de pouco tempo para provar que sua ida valeu a pena.

Até o jogo de domingo, contra o Nuremberg, Toni tinha participado de 10 partidas – entre Campeonato Alemão e Copa da Uefa – e marcado um gol em nove delas. No dérbi bávaro, fez dois gols e chegou à média de 1 tento por partida desde sua chegada à equipe.

Na Bundesliga, divide com Miroslav Klose, seu colega de ataque, a artilharia da competição, com oito gols. Um aproveitamento espetacular. Se alguém tinha dúvidas sobre sua adaptação ou seu sucesso, os números falam por si só.

Apenas um…
…alemão estava com a camisa do Energie Cottbus no empate por 0 a 0 com o Hertha Berlim. No caso, o meia Timo Rost, de 29 anos. Foi o time com menos alemães em campo na rodada.

Dois gols…
…de Christian Timm foram necessários para derrubar o penúltimo invicto da Bundesliga. No caso, o atacante fez os dois do Karlsruhe na vitória por 2 a 0 sobre o Schalke 04, em plena Veltins Arena.

Três…
…vitórias, três empates e três derrotas. Eis o desempenho do Wolfsburg de Felix Magath. Neste fim de semana, foi a vez de o time somar a terceira vitória, contra o Hansa Rostock.

Quatro vitórias…
…consecutivas. Eis o aproveitamento do Bayern de Munique nas últimas quatro rodadas. O clube bate, aliás, recorde atrás de recorde no campeonato. Chegou à histórica marca de 22 gols em oito partidas. A marca anterior, do próprio Bayern, era de 20 gols, na temporada 1972/73.

Seleção da rodada*
Wächter (Hansa Rostock); Görlitz (Karlsruhe), Demichelis (Bayern de Munique), Kyrgiakos (Eintracht Frankfurt) e Dedê (Borussia Dortmund); Zé Roberto (Bayern de Munique), Van der Vaart (Hamburg), Hajnal (Karlsruhe) e Huszti (Hannover 96); Timm (Karlsruhe) e Toni (Bayern de Munique)

Destaque da rodada*
Tamas Hajnal, do Karlsruhe. Cérebro do time que é a surpresa da temporada, o húngaro foi o responsável por confundir o meio-de-campo do Schalke 04. O próprio Andreas Muller, manager dos Azuis Reais, o elogiou: “Difícil entender como alguém tão baixinho possa fazer tanto”.

Fichas completas da nona rodada
Clique aqui para conferir.

*ambos de acordo com a revista alemã kicker, parceira desta coluna.

ECKBALL

– Na próxima edição, esta coluna tratará das Eliminatórias para a Eurocopa. A Alemanha enfrenta neste sábado a Irlanda e a República Tcheca na quarta-feira. Um empate contra os irlandeses já assegura aos alemães a primeira vaga na competição, a ser realizada na Áustria e na Suíça em 2008.

– Em notícia que já havia sido antecipada pela revista Trivela em abril, a Liga de Futebol da Alemanha (DFL) confirmou a forma de disputa do futebol no país a partir da temporada 2008/09. Entre as novidades estão a nova Terceirona, não mais regionalizada e a disputa de playoffs entre primeira e segunda, e segunda e terceira divisões. Mais a respeito aqui.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo