Leroy Sané é um jogador muito talentoso, mas não tem conseguido mostrar tudo que pode fazer nos últimos dois anos. Evidentemente que a séria que matou sua temporada 2019/20 contribuiu, mas, mesmo antes, havia ido de peça essencial do Manchester City a reserva em metade das partidas e, apesar de estar na melhor fase da sua vida, não foi convocado por para a Copa do Mundo de 2018. Pouco tempo de Bayern de Munique já começa a gerar algumas contestações e uma cobrança pública do executivo Karl-Heinz Rummenigge.

No último sábado, Sané entrou no lugar de Kingsley Coman, machucado, aos 32 minutos do primeiro tempo da vitória por 2 a 1 sobre o Bayer Leverkusen, e não ficou muito mais do que meia hora em campo. Foi substituído por Jamial Musiala, aos 23 da etapa final. “Leroy não ficou feliz. Isso está claro e é compreensível”, disse o dirigente à emissora Sport1. “Deus lhe deu incríveis talentos. Eu acredito em uma coisa: ele ainda não tem o gene do Bayern de Munique”.

Ok, Rummenigge, o que é o gene do Bayern de Munique? “Como Thomas Müller. Ele foi meu herói (no jogo contra o Leverkusen). Ele correu o campo inteiro, mas não é tão protegido por talento quanto Leroy. Ele tem que trabalhar nisso, é o trabalho dele. Fizemos tudo que pudemos para garantir que ele viesse ao Bayern. Encorajamos todos os , mas também os desafiamos. Ele tem que internalizar isso e o time o apoia”, explicou.

“Ele tem que dar o próximo passo. Leroy tem que adaptar sua personalidade ao Bayern. Essa personalidade é: nós perdoamos tudo, mas você tem que passar a impressão de que está dando tudo que pode para sair de campo vencedor. Ele tem que aprender isso”, completou.

Rummenigge prometeu tomar medidas drásticas se for necessário. “Eu acredito que ele tem um grande futuro no Bayern. Estamos prontos para ajudá-lo, para encorajá-lo, mas ele também tem que se desafiar para chegar aonde pode chegar. Se necessário, vamos chutar a bunda dele para que ele chegue lá”, disse.

Contratado pelo Bayern de Munique nesta temporada, após uma longa novela, Sané fez 16 partidas pelos bávaros, com cinco gols e três assistências.

.