Alemanha

Potência da Alemanha Oriental, o Carl Zeiss Jena celebra o acesso à terceira divisão

O Carl Zeiss Jena carrega consigo uma tradição enraizada, que atravessa diferentes períodos históricos na Alemanha. Fundado por funcionários da companhia ótica Carl Zeiss no início do Século XX, o clube sempre foi uma força regional e chegou a disputar as antigas edições do antigo campeonato nacional, entre 1925 e 1941. A divisão do país após a Segunda Guerra Mundial inseriu a equipe em uma nova realidade, mas que ainda ofereceu bases ao surgimento de uma potência na Alemanha Oriental, três vezes campeã da Oberliga e vice da Recopa Europeia em 1981. Até que a queda do Muro de Berlim causasse nova reviravolta. Mesmo com dificuldades financeiras e longe da elite, os tricolores continuaram mobilizando sua apaixonada torcida. Que, nesta quinta, teve um motivo para comemorar, com o acesso à terceira divisão do Campeonato Alemão.

VEJA TAMBÉM: Torcida do Jena luta para salvar setor do estádio e vira exemplo de mobilização

A reunificação da Alemanha inseriu o Carl Zeiss Jena na segunda divisão em 1991. Foram alguns anos como figurante, até que a derrocada levasse o clube até o quarto nível da pirâmide na virada do século. Os tricolores até emendaram dois acessos consecutivos e voltaram à segundona em 2006, mas a ascensão não se mostraria sustentável. Os orientais começaram a década flertando com o rebaixamento na terceirona, até que ele se consumasse em 2012. Durante as últimas cinco temporadas, tiveram que penar na dificílima Regionalliga Nordost, a primeira divisão regionalizada do país, equivalente ao quarto nível. Só os campeões de sua liga têm o direito de disputar o acesso e, mesmo assim, encarando um playoff, com confronto direto contra o campeão (ou vice, no caso da Südwest) de outra liga.

Assim, o feito do Carl Zeiss Jena nesta temporada se torna tão louvável. Pela primeira vez nos últimos cinco anos, o clube conquistou a Regionalliga Nordost, enfrentando vários dos antigos rivais do Campeonato Alemão-Oriental. A liderança chegou às suas mãos na terceira rodada e o desempenho arrasador nos primeiros meses ajudou fundamentalmente, com 11 vitórias nos primeiros 13 compromissos. Confiança aumentada para os dois confrontos decisivos contra o Viktoria Köln, campeão de sua própria liga regional.

No primeiro jogo do acesso, o Carl Zeiss Jena fez sua parte. A torcida invadiu o setor visitante em Colônia e empurrou o time para a vitória por 3 a 2. Resultado que, no fim das contas, acabou sendo vital para o sucesso. O Ernst-Abbe Sportfeld lotou e coloriu suas acanhadas arquibancadas para o jogo decisivo desta quinta. O Viktoria Köln acabou saindo com o triunfo por 1 a 0. Mas não com o que realmente interessava, a promoção, garantida pelos tricolores graças aos tentos que marcaram fora de casa na ida.

O Carl Zeiss Jena acompanha outros dois clubes à terceira divisão. Nesta quarta, Meppen e Unterhaching puderam comemorar. O Meppen eliminou o Waldhof Mannheim nos pênaltis, após dois empates sem gols. Cerca de 13 mil pessoas viram o jogo no estádio. Será o retorno dos alviazuis à terceirona após 17 anos de ausência. Já o Unterhaching fez por merecer a conquista. Os bávaros contaram com a melhor campanha das cinco ligas regionais da quarta divisão, sofrendo apenas uma derrota, e seu ataque marcou mais gols do que qualquer outro nas quatro primeiras divisões. Favorito, já tinha vencido o Elversberg por 3 a 0 na ida, segurando o empate por 2 a 2 na volta.

O Unterhaching, aliás, também guarda suas boas histórias. Localizado em uma região rural nos arredores de Munique, o clube é uma potência no bobsleigh (sim, os trenós de ‘Jamaica abaixo de zero’) e representa a cidade menos populosa a já disputar a elite do Campeonato Alemão, com 23 mil habitantes. Foram duas temporadas na Bundesliga, em 1999/00 e 2000/01, chegando até mesmo a tirar o título do Bayer Leverkusen na última rodada da primeira participação. Entretanto, ao longo dos últimos anos, o time despencou até chegar à quarta divisão em 2015, o que provocou um desmanche no elenco. Curiosamente, a reconstrução se iniciou com uma grande campanha na Copa da Alemanha 2015/16, eliminando Ingolstadt e RB Leipzig. No atual elenco, se sobressaem Sascha Bigalke (antiga promessa das seleções de base), que acumulou 20 gols e 27 assistências em 36 jogos da Regionalliga; e Stephan Hain, autor de 32 gols em 28 jogos.

O Carl Zeiss Jena será o sétimo clube da antiga Alemanha Oriental na terceira divisão, ao lado de Hansa Rostock, Magdeburgo, Hallescher, Chemnitzer, Zwickau e Rot-Weiss Erfurt. Por outra via, a Regionalliga receberá dois clubes notáveis, rebaixados nesta temporada. Depois da surpreendente ascensão à Bundesliga, o Paderborn emendou o terceiro descenso consecutivo. Já o FSV Frankfurt, segundo clube mais importante de sua cidade, caiu por problemas financeiros. O segundo quadro do Mainz completa o trio de relegados.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo