Alemanha

Pizzadependência em Bremen

A frase de Clemens Fritz, capitão do Werder Bremen, resume tudo: “Graças a Deus e a Pizarro, conseguimos os três pontos”. Os Verdes haviam acabado de derrotar o Köln por 3 a 2, após perder por 2 a 0 no primeiro tempo. O atacante peruano foi o principal responsável pela virada, que, sejamos francos, também foi facilitada pelo árbitro Michael Weiner, que não deu dois pênaltis para o Köln. Pizarro, porém, não tinha nada a ver com isso: fez os três gols, comandou o time no ataque, usou a experiência que tem para desestabilizar a defesa adversária, e mais uma vez salvou a pele de uma equipe que depende quase exclusivamente dele para vencer as partidas.

A conta é simples: dos 23 gols marcados pelos Verdes na competição, 11 foram marcados pelo Pizza (apelido de Pizarro, pois se pronuncia o z com som de “ts” em alemão). Na artilharia do campeonato, só é superado por Mario Gómez, que balançou as redes em 13 oportunidades, mas conta com o suporte de um ataque muito mais produtivo, que marcou ao todo 32 gols e é composto por Thomas Müller, Frank Ribéry e Toni Kroos.

O bom desempenho é, até certo ponto surpreendente, apesar de ninguém, em nenhum momento, ter duvidado da capacidade técnica do peruano, maior artilheiro estrangeiro da história da Bundesliga com 153 gols marcados em 12 temporadas. A marca certamente facilitou o caminho de alguns compatriotas dele, como Paolo Guerrero e Jefferson Farfán, que já fazem sucesso no futebol alemão há mais de cinco temporadas e hoje compõem uma respeitável linha de frente na seleção nacional.

Aos 33 anos, porém, Pizarro dava todos os sinais de que entraria em uma fase descendente da carreira. Prejudicado por lesões na última temporada, ele foi às redes apenas nove vezes em 22 partidas, em um campeonato desastroso para os Verdes, que terminaram apenas na 13ª colocação. Chegou a ser cotado até para sair do clube, pois se trata de um jogador caro e que já não dava o mesmo retorno em campo.

Mas houve. Os Verdes hoje ocupam a terceira colocação na Bundesliga com 23 pontos, dez dos quais conseguidos com gols decisivos do atacante peruano, que praticamente joga sozinho lá na frente. Os vice-artilheiros do time são Marko Arnautovic e Marcus Rosenberg, com apenas três gols, jogadores que podem até ser úteis em alguns momentos, mas são capazes de, no máximo, compor bem o elenco da equipe como coadjuvantes.

Se o ataque depende quase exclusivamente de Pizarro para fazer gols, é natural supor que o segredo para essa boa campanha do time é o setor defensivo, certo? Errado. O time tomou 16 gols em 12 jogos e possui a segunda pior defesa entre os cinco primeiros colocados, à frente apenas do Schalke 04, que foi vazado em 18 oportunidades. É claro que, com a recuperação de Naldo e contratações interessantes como Sokratis Papastathopoulos – se recuperando da má temporada no Milan e jogando muito bem tanto como lateral quanto como zagueiro -, o setor melhorou em relação a 2010/11, mas o que tem feito a diferença é, de fato, a capacidade de decidir os jogos em momentos decisivos.

Questionado sobre a boa fase e a possibilidade de uma inédita artilharia da Bundesliga, Pizarro manteve a cautela. “É uma possibilidade, mas Mario Gómez costuma fazer muitos gols”, comentou o atacante, cujo contrato termina no fim de 2012. A diretoria do Werder Bremen já cogita uma renovação, da mesma forma que busca outras opções para que essa dependência do peruano seja pelo menos amenizada, pois não há a perspectiva de isso acontecer com as opções que o time possui no momento.

Fim da linha para Wesley?

Se Pizarro hoje é fundamental para o time, o mesmo não se pode dizer do brasileiro Wesley. Contratado junto ao Santos em 2010, o volante/meia/lateral jamais conseguiu se firmar no time titular em um ano e meio de clube e já não há mais como dar a desculpa de “período de adaptação”. Insatisfeito, ele chegou a treinar em separado do grupo e cogita-se até mesmo uma transferência de inverno, pois os Verdes passam por dificuldades financeiras e precisam vender alguém para equilibrar o caixa.

Outro que pode fazer as malas é Sandro Wagner, que tem se destacado por chorar bastante em busca de uma oportunidade e desperdiçar todas as chances que tem tido desde que chegou aos profissionais. Jogadores que estão no fim do contrato, como o goleiro Tim Wiese, também estão cotados para deixar o clube.

Mario Götze e Mesut Özil juntos, no mesmo meio-campo

Na segunda-feira, o técnico da seleção Joachin Löw chegou a dizer que poderia testar um 4-4-2 na equipe com Miroslav Klose e Mario Gómez no ataque no amistoso contra a Ucrânia, nesta sexta-feira, em Kiev. Os planos dele, porém, foram frustrados com a lesão de Klose, que precisou ser cortado da equipe. Restou a Löw, no entanto, promover um encontro pelo qual muita gente já esperava: Mario Götze, Mesut Özil irão começar uma partida juntos, como titulares, pela primeira vez no Nationalelf. E pela primeira vez na vida.

O encontro simboliza a união das duas últimas gerações vencedoras do futebol alemão. Özil, nascido em 1988, é o jogador-símbolo do time campeão da Euro sub-21 em 2009, enquanto Götze, quatro anos mais jovem, foi fundamental na conquista da Euro sub-17 do mesmo ano. Revelados em times rivais – Özil começou a carreira no Schalke 04 e Götze ainda atua no Borussia Dortmund -, ambos nunca se enfrentaram na Bundesliga, pois quando Götze subiu definitivamente aos profissionais, Özil já havia sido vendido ao Real Madrid.

Os dois deverão compor a linha ofensiva do meio-campo formado no 4-2-3-1 com André Schürrle, Lukas Podolski ou mesmo Thomas Müller atuando pelo lado esquerdo. No ataque, Mario Gómez sentiu dores musculares e, caso não possa atuar, será substituído por Cacau, que voltou a viver boa fase no Stuttgart, mas, ao que tudo indica, apenas compõe o grupo de Joachin Löw.

Outra dúvida é no gol. Sem Manuel Neuer, que atuará apenas contra a Holanda, na próxima terça-feira, Löw ainda não sabe se dará uma oportunidade a Tim Wiese, reserva imediato na última Copa do Mundo, ou promoverá a estreia do jovem Ron-Robert Zieler, de apenas 22 anos, que vem tendo excelentes atuações com a camisa do Hannover 96 na temporada.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo