Alemanha

O retorno

Com três rodadas de antecedência e dez pontos à frente do Mainz, o Freiburg confirmou, no ultimo final de semana, o acesso à Bundesliga. A vitória por 5 a 2 diante do Koblenz e derrota do segundo colocado Mainz por 2 a 0 para o St. Pauli deixou o time mais francês da Alemanha sem a possibilidade de serem alcançados na tabela.

Se o técnico Volker Finke entrou para a história do clube depois de conquistar a vaga na primeira divisão alemã por três vezes, (1993, 1998 e 2003) agora é o trabalho do jovem (e discreto) técnico Robin Dutt, que tem seu trabalho em evidência.

Para realizar uma campanha que surpreendeu principalmente no segundo turno. De forma simples, Dutt privilegiou a organização do setor defensivo e tem a segunda defesa menos vazada da competição até a ultima rodada. Sem grandes jogadores, soube “fechar” o grupo e motivar seu elenco.

No ataque, o camaronês Mohamadou Idrissou é o artilheiro do time (marcou 11 gols em 28 jogos), mas é o volante Julian Schuster o destaque do time. Aos 23 anos, o jogador mostra excepcional segurança na proteção à defesa ao lado de Ivica Banovic, além de chegar bem ao ataque, o que explica seus seis gols na competição. O encontro com o atacante Jonathan Jager transformou o lado esquerdo do time em arma letal.

Com 20 vitórias, cinco consecutivas na reta final e apenas sete derrotas. Os portões do estádio Oberwerth foram abertos para que a torcida comemorasse a conquista junto com os jogadores. Nas arquibancadas dos visitantes, as faixas com a afirmação “Nós voltamos” se agitaram após quatro anos.

Causa e consequência

Todo mundo já sabia, mas a confirmação de que assumirá o comando do Schalke na próxima temporada feita pelo próprio Felix Magath no momento em que o Wolfsburg luta pela primeira vez pelo titulo alemão caiu muito mal.

Com apenas três rodadas a serem disputadas, uma aceitável derrota para o Stuttgart na Mercedez-Bens-Arena virou goleada por 4 a 1, mesmo com a equipe da casa atuando sem sua zaga titular e polêmica: Estaria o grupo já pensado na próxima temporada?

Seduzido pelas promessas de contratações estelares da Gazprom, empresa russa exportadora de gás natural que patrocina o Schalke, Magath pode deixar a sensação de que comprometeu um trabalho que poderia entrar para a história do futebol alemão.

Falatório

O anuncio oficial da saída de Magath esquentou ainda mais as especulações sobre as mudanças no banco de reservas das principais equipes alemãs para a próxima temporada.

No Bayern, a negociação com Louis van Gaal esfriou. O dirigente Uli Hoeness afirmou que a diretoria AZ está intransigente quando o assunto é liberar seu treinador que tem contrato com o clube holandês até junho de 2010.

Thomas Schaaf apareceu como possível substituto de Magath no Wolfsburg, mas próximo de conquistar o titulo da Copa Uefa, o treinador deve manter-se no comando do Werder Bremen.

No Wolfsburg, ou mesmo no Bayern, Frank Rijkaard tem boas chances de aparecer no futebol alemão em junho.

Próxima rodada

Agora, apenas dois pontos separam o líder Wolfsburg do quarto colocado, o Stuttgart. Neste meio de semana, jogos importantes podem redefinir as primeiras posições, ou embolar ainda mais o campeonato:

Nesta terça-feira

Bayern de Munique x Bayer Leverkusen
Karlsruher x Hannover
Colônia x Hertha Berlin
Wolfsburg x Borussia Dortmund

Nesta quarta-feira

Eintracht Frankfurt x Werder Bremen
Hamburgo x Bochum
Schalke 04 x Stuttgart
Energie Cottbus x Borussia M´gladbach
Arminia Bielefeld x Hoffenheim

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo