Alemanha

Lewandowski ganha aumento e sela paz com o Dortmund

O que fazer com um jogador que tem um ano de contrato e diz, claramente, que quer sair? O Arsenal viveu essa situação em 2012 e decidiu vender Robin van Persie ao Manchester United, um rival direto na Inglaterra. O Borussia Dortmund resolveu fazer diferente. Depois de Robert Lewandowski se destacar, o jogador dava como certa sua saída do clube e disse ter recebido sinal verde do clube para que a transferência acontecesse. Só que os aurinegros não quiseram deixar o seu camisa 9 mudar de casa e reforçar o rival, Bayern Munique, e seguraram o polonês, correndo o risco de perdê-lo de graça ao final da temporada. Um risco que é também uma tomada de posição. E, subitamente, Lewandowski tomou uma posição conciliadora e diz que não há mais problemas. Mas isso não foi de graça.

Alguém pode perguntar por que o clube não fez o mesmo com Mario Götze, que seguiu o caminho do Vale do Ruhr para a Baviera. O caso de Götze é um pouco diferente, porque o Bayern pagou a multa rescisória do jogador, como já tinha feito com Javi Martínez, o que deixa o clube sem opção. Lewandowski está sob contratoe a sua multa de rescisão contratual não foi paga por clube algum. Isso gerou a ira do atacante polonês, que reclamou publicamente da diretoria do clube, que tinha prometido que o deixaria sair e não deixou. Segundo o próprio jogador, esses problemas ficaram para trás, depois de um começo de temporada tumultuado pelo problema.

“A situação é que eu ficarei no Dortmund por mais um ano. Tudo que precisava ser corrigido foi tratado. Alguns erros foram cometidos, mas nós passamos uma linha sobre essa questão e seguimos em frente”, afirmou o jogador ao Sport Bild. “Minha posição na situção era diferente da do clube. Eu imaginei que eu seria liberado para sair. O clube tomou a decisão que eu iria ficar. Eu fiquei muito decepcionado e nervoso com isso no começo desse verão (junho, na Europa), mas tudo foi esclarecido agora. Eu sempre disse que eu honraria o meu contrato”, afirmou o jogador.

“Eu não quis quebrar o meu contrato, mesmo que tenha parecido diferente olhando de fora. Eu nunca pedi nada que fosse contra o que está no meu contrato. As coisas foram tiradas de contexto e usadas contra mim e meu empresário”, explicou o camisa 9 dos aurinegros.

Lewandowski, de 25 anos, tem contrato até junho de 2014. O Dortmund o manteve mesmo insatisfeito, mas apostou na parte futebol, não na parte negócio. Encontrar um substituto para Lewandowski, com o mercado tão inflacionado, seria complicado. Certamente se uma proposta realmente alta fosse feita pelo atacante, o Dortmund consideraria. Mas vender por pouco para contratar uma reposição por muito não é bom negócio.

Então, o clube mantém Lewandowski e tem tempo para planejar um substituto, que até pode já estar no elenco: Aubameyang já mostrou que o instinto artilheiro que mostrou na Ligue 1 o acompanhou na Bundesliga. Além disso, o Dortmund ainda pode tentar convencer Lewandowski a continuar, dando um aumento substancial e fazendo uma campanha que mostre que o time pode suprir as suas ambições pessoais. Uma aposta de risco, mas uma aposta de quem pensa no futebol dentro de campo mais do que no negócio.

Bom, tem tudo isso, mas para não ver um jogador atuando de forma insatisfeita, o Dortmund se assegurou de deixá-lo mais satisfeito. Precisou pensar no lado financeiro para não criar problemas. O jogador ganhou um aumento salarial de € 3,5 milhões no seu salário anual. A paz tem o seu preço.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo