AlemanhaBundesliga

Irregularidade do Dortmund não é páreo para força do Bayern de Robben, Ribéry e Lewandowski

Duas das melhores equipes da Bundesliga em campo. A expectativad e um grande jogo sempre é alta quando temos embate entre Bayern de Munique e Borussia Dortmund. Mas a grande diferença entre eles não está no talento, ainda que o elenco bávaro seja mais farto. Sobra talento ao Dortmund, mas falta algo que sobra ao Bayern: regularidade. O time bávaro consegue decidir os jogos com muito mais constância e, assim, ser um time que está sempre na ponta. O Dortmund vive de altos que podem eliminar qualquer adversário no mata-mata, e baixos que levam a derrotas estúpidas na Bundesliga. A força sempre presente no Bayern foi determinante para o placar de 4 a 1 construído neste sábado na Allianz Arena.

LEIA TAMBÉM: De sério candidato à queda, o Werder Bremen arranca e já sonha com a Liga Europa

O jogo deste sábado não valia tanto em relação à tabela. O Dortmund está bem colocado dentro do grupo de classificados á próxima Champions League. Briga para ficar em terceiro lugar e tentar ir direto à fase de grupos, sem precisar passar pela sempre perigosa fase preliminar. Mesmo assim, a distância para o quinto colocado é enorme – 10 pontos – e há muita tranquilidade.

O que valia o jogo então? Vale sempre para mostrar a força do time. O Dortmund, é bom lembrar, está nas quartas de final da Champions League, que serão disputadas nesta semana. O time, porém, mostrou mais uma vez o mal que complica a sua situação: a irregularidade. Fez um jogo fraco, sem conseguir ser o adversário que pode ser. O Bayern marcou dois gols muito rapidamente, o que complicou a situação. Mas o domínio acabou sendo completo. A goleada por 4 a 1 não foi um exagero.

O que chama a atenção neste momento no Bayern de Munique é que o time voltou a jogar com dois jogadores que veteranos nas pontas, mas que fazem, há anos, o time muito forte: Arjen Robben e Franck Ribéry. No esquema do técnico Carlo Ancelotti, Thiago Alcântara fica no meio e deixa os dois pontas brilharem. Robert Lewandowski, no ataque, também segue marcando seus gols.

Os três jogadores de ataque, aliás, foram os destaques. Todos marcaram seus gols. Lewandowski fez dois, um deles de pênalti. O outro, curiosamente, de falta. O gol de Ribéry foi mais de centroavante. O de Robben… Bem, foi tipicamente um gol de Robben. Puxou para o meio, vindo da direita, e chutou colocado para marcar.

O jogo

Os primeiros 20 minutos do jogo foram alucinantes. Logo no primeiro ataque, jogada pela direita, Philipp Lahm cruzou rasteiro e Franck Ribéry, que fez 34 anos nesta semana, marcou 1 a 0. Antes dos 10 minutos, o Bayern já chegou ao segundo gol: Lewandowski cobrou falta com precisão e marcou 2 a 0.

Tudo parecia tão bem para o Bayern de Munique que era difícil imaginar qualquer outro cenário que não o domínio total e completo do time de vermelho. Só que aí veio um golaço para dar um gosto a mais para o jogo. Em uma bola mal rebatida dentro da área do Bayern, Vidal tirou, a bola sobrou para Raphael Guerrero chutar forte, de canhota, no ângulo. Diminuiu o placar para 2 a 1.

Parecia que tínhamos uma disputa. Só parecia. Logo no início do segundo tempo, o gol de Arjen Robben deu a vantagem de 3 a 1 ao Bayern. Depois, aos 23, Robben entrou na área, foi derrubado e o árbitro marcou o pênalti. Lewandowski marcou. Foi o 26º gol dele na Bundesliga, aliás, deixando o concorrente Pierre-Emerick Aubameyang para trás, com 25. Anthony Modeste, do Colônia, tem 23.

O Dortmund não teve praticamente nada que se salvasse. O goleiro Bürki não foi bem, assim como toda a defesa. Ousmane Dembélé, outro destaque do Dortmund, esteve apagado em campo. Aliás, foi em um erro seu de passe que saiu um dos gols do Bayern. Aubameyang pouco fez, quase sem receber muitas bolas. Pulisic, outro que vinha brilhando em jogos recentes, não apareceu muito no jogo.

Isso tem uma razão: o Bayern teve 71% de posse de bola na partida. As ações do Dortmund ficaram muito limitadas. O time não conseguiu transformar a sua retomada em ataques perigosos. Tanto que o goleiro Sven Ulreich só fez uma defesa. Dos nove chutes do Dortmund, só três acertaram o gol.

O Doortmund terá que jogar bem mais para vencer o Monaco, em um confronto que promete ser muito ofensivo. O Bayern de Munique, por sua vez, terá um adversário de mais peso, o Real Madrid. Será a chance de Robben e Ribéry mostrarem que a boa fase também pode levar o time da Baviera às semifinais, eliminando o peso pesado e atual campeão da Champions.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo