Alemanha

Ex-técnico do Werder Bremen é suspenso por um ano por usar certificado de vacinação falso

Markus Anfang e seu auxiliar Florian Junge apresentaram um comprovante falso para escapar dos protocolos sanitários no começo da temporada

Markus Anfang, técnico do Werder Bremen até o último mês de novembro, foi suspenso de atividades ligadas ao futebol por um ano após o departamento médico do clube em que trabalhava descobrir que ele havia apresentado um certificado falso de vacinação contra a Covid-19. O seu auxiliar Florian Junge pegou dez meses de gancho.

A punição vale retroativamente a partir de novembro e será suspensa em junho. Isso significa que eles poderão voltar a trabalhar na temporada 2022/23, mesmo que em condicional. Anfang, que também treinou Colônia e Darmstadt e como jogador defendeu Fortuna Düsseldorf e Schalke 04, terá que pagar uma multa de € 20 mil. Junge, de € 2 mil.

Após ser contratado em junho do ano passado, a dupla apresentou um certificado de vacinação mediante o qual estaria livre dos testes do protocolo sanitário da liga alemã. Por causa do documento, os dois também escaparam de fazer quarentena após ter contato com o jogador Marco Frield, que havia testado positivo para Covid-19.

Além da punição esportiva, Anfang ainda está sendo investigado pelo Ministério Público porque teria usado o comprovante falso para entrar em uma festa de carnaval em Colônia, sua cidade natal. Em novembro, ele renunciou por causa do “extremo estresse” que o caso estava impondo “ao clube, o time, à minha família e a mim mesmo”.

“Eles obtiveram um cartão de vacinação falso no verão passado, que os identificou incorretamente como ‘duplamente vacinados contra o coronavírus’. Eles apresentaram isso ao seu empregador, de modo que desde o início do outono eles não participaram mais dos testes prescritos pelo Werder Bremen”, afirmou a Federação Alemã de Futebol em um comunicado.

“Além disso ambos também apresentaram o cartão de vacinação falso ao departamento de saúde de Bremen, para evitar a quarentena legalmente exigida como resultado do contato com o jogador do Bremen, Marco Frield, que sofria de coronavírus na época”, completou.

A federação também afirmou que “por meio das suas ações, Markus Anfang e Florian Junge violaram consideravelmente suas posições de exemplo à sociedade como treinadores”. A entidade acrescentou que “em vista das confissões que fizeram” justifica-se a liberdade condicional para dar a eles “a oportunidade de reengajar para a temporada 2022/23”.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo