Alemanha

Encostado pelo Arsenal, Guendouzi se junta a um Hertha Berlim com a sua cara: potencial e problemático

Matteo Guendouzi foi o 738º jovem-francês-com-potencial que o Arsenal contratou nas últimas duas décadas e meia, e curiosamente logo depois da saída de Arsène Wenger, e até deu sinais do jogador que pode se tornar um dia, mas não entra em campo desde que foi flagrado agarrando o pescoço de Neal Maupay, do Brighton, em meados de junho. Foi afastado por Mikel Arteta mais por razões comportamentais do que técnicas e agora buscará um pouco de ar fresco no promissor – e ainda frustrante – projeto do Hertha Berlim.

Dois jogos depois de testar a capacidade de segurar a respiração de Maupay, Mikel Arteta falou que Guendouzi havia sido afastado por “problemas internos” e que “algumas coisas precisam mudar e nada mudou por enquanto”. Referindo-se também a Mesut Özil, falou posteriormente que qualquer um que quiser “pular no barco” está convidado a fazê-lo desde que esteja 100% comprometido com a “nossa cultura e respeite nossos valores”.

Guendouzi chegou a ser afastado dos treinamentos do time principal. Foi reintegrado para o início desta temporada, mas não ficou nem no banco de reservas nos sete jogos oficiais disputados até agora, nem quando o Arsenal colocou times modificados na Copa da Liga Inglesa. Arteta tem dado preferência para Elneny, Xhaka, Ceballos e Willock para formar a sua dupla de meio-campistas.

Ainda com 21 anos, Guendouzi não parece ser irrecuperável. Faz sentido emprestá-lo para um novo ambiente e ver como ele se desenvolve. O Hertha Berlim parece ser um destino interessante. Recebeu bastante investimento desde o ano passado e tem gastado em nomes como Piatek, Matheus Cunha, Lucas Tousart, Lukebakio e John Córdoba, na tentativa de galgar patamares dentro da Bundesliga.

Ainda não chegou lá. A temporada passada foi conturbada pela constante troca de treinadores, especialmente o período sob o comando do explosivo Jürgen Klinsmann. O experiente Bruno Labbadia assumiu depois da paralisação. Começou bem, mas terminou a liga com quatro derrotas em cinco rodadas e não conseguiu vaga em competições europeias. Ganhou apenas um dos três primeiros jogos da nova campanha, embora uma das derrotas tenha sido por 4 a 3 para o atual campeão europeu Bayern de Munique, com gol de Lewandowski nos acréscimos.

Promissor e problemático, Guendouzi ganha uma nova chance no projeto promissor e problemático do Hertha Berlim. Precisará baixar a cabeça e trabalhar duro para desenvolver o seu potencial para desenvolver seu potencial e tentar não se tornar mais uma faísca no pavio aparentemente curto do clube da capital alemã.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo