Alemanha

Duro recomeço

Os mais realistas poderiam prever que o segundo turno da Bundesliga seria marcado pela queda de rendimento do Hoffenheim, na briga pelo título do campeonato. Mesmo com o bom futebol jogado durante todo o primeiro turno, a inexperiência ou a falta de opções no elenco faria com que alguns tropeços na sequência da competição trouxesse um pouco de alívio ao Bayern, já que a disputa foi acirrada na reta final do primeiro turno.

Porém, a pré-temporada reservou uma triste notícia ao estreante que reforça esta tese. Em um amistoso realizado contra o Hamburgo durante a preparação da equipe, o artilheiro Vedad Ibisevic rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho direito e não voltará aos gramados nesta temporada. Um desfalque irreparável.

O bósnio Ibisevic marcou 18 gols em 17 jogos e foi artilheiro do primeiro turno. Buscar uma outra opção para o ataque tornou-se prioridade da diretoria nestes últimos dias disponíveis para a transferência de atletas. Mas no atual mercado, seria muito difícil encontrar um substituto tão inteligente e oportunista no mercado.

O elenco dispunha de apenas um substituto para Ibisevic, o brasileiro Wellington, que está há seis meses no clube, passou por lesões e entrou no decorrer de apenas três partidas. Será uma oportunidade para o ex-jogador do Internacional, que não se entendeu bem com técnico Ralf Rangnick, mostrar trabalho.

A (necessária) opção a mais, seria anunciada na última terca-feira. Boubacar Sanogo, do Werder Bremen foi contratado. O jogador da Costa do Marfim vem de temporadas irregulares (no primeiro turno marcou apenas um gol e deu uma assistência) e mostrava-se disposto a deixar a equipe de Bremen. Bom negócio para todos.

Para complicar um pouco mais o caminho do Hoffenheim neste recomeço, Carlos Eduardo foi suspenso por duas partidas após a punição da federação alemã, que não perdoou a conduta do jogador na briga com Ivic Olic também na partida contra o Hamburgo. É, pode-se dizer que este amistoso contra os hanseáticos não foi lá uma boa idéia. A perda por lesão de seu principal atacante chegou a ofuscar as expectativas em relação a quem chegou. Hildebrand uma contratação cercada de certezas.

Mas se dentro de campo as notícias podem não ser as melhores, o Hoffenheim inaugurou oficialmente seu estádio, no último sábado, com um amistoso contra o uma seleção formada por jogadores da região de Rhein-Neckar. O Hoffenheim venceu o jogo por 6 a 2 e Wellington marcou dois gols

Assim, a equipe deixa de mandar suas partidas na cidade de Mannheim para atuar na moderna Rhein-Neckar Arena, com capacidade 30.150 espectadores (quase dez vezes mais que a população da pequena cidade de Hoffenheim). A obra custou cerca de € 60 milhões, financiada por Dietmar Hopp, milionário responsável pela rápida ascensão do clube.

A torcida espera que o time mantenha o bom retrospecto como mandante, já que o Hoffenheim não perdeu nenhuma partida em seus domínios durante o primeiro turno. Os 20 mil carnês colocados à venda para a continuação da temporada já estão esgotados.

A estréia oficial no novo estádio, no próximo sábado, contra o Energie Cottbus é esperada com ansiedade. Em um campeonato que nem sempre há surpresas, acompanhar o Hoffenheim é uma das grandes atrações da Bundesliga.

O que é justo?

Thiago Neves deixou o Brasil prestigiado e suas boas atuações pelo Fluminense, essencialmente durante a Libertadores, apagaram a má impressão causada pelo jogador que poucos meses antes havia assinado um pré-contrato com o Palmeiras (e recebido a quantia referente) ao mesmo tempo em que negociava sua permanência no Tricolor.

Assim, o jogador chegou a um dos principais clubes da Alemanha. E seu desempenho (até mesmo nos treinamentos) não correspondeu à expectativa do técnico Martin Jol, que chegou ao início da temporada e realiza um bom trabalho no clube. A falta de tempo para a adaptação poderia ser um bom motivo para a questão.

Antes de buscar uma vaga na equipe durante a metade da temporada que segue com perspectivas já que o volante De Jong foi negociado com o Manchester City e não houve reposição, o jogador entrou em negociação com o Al-Hilal, da Arábia Saudita, com um pedido curioso: retornar ao Fluminense, durante seis meses.

Poderia até ser um bom negócio para todos. Com o Hamburgo recuperando parte do investimento, com o atleta recuperando a forma e o bom futebol e de repente o clube árabe poderia faturar com a futura venda do jogador ou mesmo com os golzinhos que ele poderá marcar no campeonato. Mas o Hamburgo, com razão, não quis a negociação. Thiago Neves é atleta do clube, tem o dever de cumprir suas determinações e menos direito de reclamar.

Thiago Neves…Robinho mesmo jovens, dão sempre a sensação de desperdício, daquilo que poderia ter sido e não foi. Para eles parece que futebol sempre vem depois.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo