Alemanha

Duas vezes campeão alemão, o Viktoria Berlim ressurge e conquista o acesso à terceirona após quatro décadas

Embora a Bundesliga não tenha sido paralisada nesta temporada, algumas divisões de acesso na Alemanha acabaram interrompidas por causa do agravamento da pandemia. A Regionalliga Nordost, uma das ligas regionais que compõem a quarta divisão, está parada desde novembro e nesta semana os dirigentes optaram por encerrar a competição. E o fim antecipado selou o retorno de um clube histórico à terceirona. O Viktoria Berlim, campeão nacional em 1908 e 1911, voltará ao terceiro nível pela primeira vez desde a década de 1980.

O atual Viktoria Berlim surgiu em 2013, a partir da fusão do antigo Viktoria 1889 com o Lichterfelder. Apesar da união, o nome do clube ancestral prevaleceu, e com seus motivos: o Viktoria foi uma equipe fundamental ao próprio desenvolvimento do esporte na Alemanha. Os celestes surgiram em 1899, fundados por estudantes, e dominaram o Campeonato de Berlim em seus primeiros anos, com cinco títulos entre 1893 e 1897. Já em 1894, o time também levou um título nacional considerado extraoficial.

Tal relevância levou o Viktoria Berlim a participar da fundação da DFB, a federação nacional, em 1900. Os celestes também participaram das primeiras edições do Campeonato Alemão, que reunia os campeões regionais em uma fase final nacional. Os berlinenses disputaram três finais consecutivas de 1907 a 1909, com o título celebrado pela primeira vez em 1908, ao derrotarem o Stuttgarter Kickers na decisão. Já o segundo troféu veio em 1911, em cima do VfB Leipzig, que daria origem ao atual Lokomotive Leipzig. Destaques daqueles times, Helmut Röpnack e Willi Worpitzky representaram a seleção alemã nas Olimpíadas de 1912.

O Viktoria se manteria forte até o fim da década de 1910, com seu 13° título regional em 1919, mas caiu depois disso. A equipe voltou a ser campeã de Berlim em 1933, se recuperando de rebaixamentos anteriores. Já ao final da Segunda Guerra Mundial, como a maioria das instituições existentes durante o nazismo, o Viktoria foi dissolvido e precisou se reconstruir. Na década de 1950, os celestes conquistaram duas edições da Oberliga Berlim, que dava vaga na fase final do Campeonato Alemão. Todavia, os berlinenses seriam um mero saco de pancadas, já com dificuldades financeiras.

Com a unificação da Bundesliga em 1963, o Viktoria Berlim despencou nas divisões de acesso. Era difícil se organizar e competir dentro da situação excepcional de Berlim Ocidental, isolada do restante do país. O clube ainda viveria um momento razoável na virada dos anos 1970 para os 1980 na terceira divisão, mas o costume foi figurar abaixo disso. A partir da queda do Muro de Berlim, o Viktoria transitou entre a quinta e a sexta divisão nas décadas de 1990 e 2000.

A reconstrução do Viktoria Berlim é mais recente, a partir da última década. Em 2012/13, os celestes conquistaram o acesso de volta à Regionalliga, pouco antes da oficialização da fusão com o Lichterfelder. O clube se estabilizou na quarta divisão e também ganhou duas edições da Copa de Berlim, em 2014 e 2019. Neste meio tempo, porém, o Viktoria ainda precisou lidar com um processo de insolvência em 2018. A agremiação firmou parceria com a Advantage Sports Union, grupo chinês ligado ao Nice, mas tomou um calote e ficou à beira da extinção. Apesar disso, os celestes conseguiram contornar os problemas financeiros e evitaram o rebaixamento em 2018/19, mesmo com a dedução de nove pontos. Para isso, contaram com o apoio de Tomislav Karajica, empresário de Hamburgo que é dono do Austria Klagenfurt, da segunda divisão austríaca.

Oitavo colocado na Regionalliga Nordost de 2019/20, o Viktoria Berlim deu um salto na atual temporada e liderava a campanha com sobras. A equipe conquistou 11 vitórias em 11 rodadas, abrindo uma vantagem de oito pontos na liderança até que o torneio fosse interrompido. O atacante finlandês Kimmo Hovi, com seis gols, era o destaque do time. Também brilhava um brasileiro: Lucas Falcão, atacante de 21 anos, que se formou na base do Portland Timbers. O camisa 11 tinha três gols e três assistências.

Nesta semana, os membros da Regionalliga Nordost realizaram uma reunião para definir o encerramento da competição e, por unanimidade, optaram que a liga não fosse retomada nesta temporada. Assim, os celestes conseguem o acesso e ninguém será rebaixado. Outras divisões regionais da quarta divisão do Campeonato Alemão seguem em disputa e definirão mais três promovidos à terceirona. No novo nível, porém, o Viktoria terá que procurar uma outra casa, já que seu estádio não atende os requisitos mínimos.

O acesso do Viktoria reforça um pouco mais a representatividade de Berlim nas divisões nacionais do Campeonato Alemão. Os únicos dois representantes da capital nas três primeiras divisões são Hertha e Union. Além disso, não havia um terceiro clube da região nas três primeiras divisões desde 2012/13, quando o Balbesberg 03 (da área metropolitana) disputou a terceirona. Existe margem para o crescimento e o Viktoria ocupa esta lacuna, levando também um pouco de história com sua ascensão.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo