AlemanhaBundesliga

Dortmund escancara as suas virtudes com mais um sacode, desta vez sobre o Leverkusen

O Borussia Dortmund venceu todos os 11 jogos que fez na temporada, com incríveis 39 gols anotados. Números excelentes após o desempenho sofrível no último ano, e que impulsionam o início de Thomas Tuchel à frente do time. Neste domingo, os aurinegros conquistaram um de seus resultados mais contundentes: a vitória por 3 a 0 sobre o Bayer Leverkusen ficou até barata, diante de toda a imponência do time da casa. Triunfo que valeu os três pontos e, mais do que isso, também a liderança da Bundesliga, com a equipe voltando a superar o Bayern de Munique no saldo de gols. Outra prova de que a competição pelo topo na Alemanha será acirrada, com os dois rivais mantendo os 100% de aproveitamento.

VEJA TAMBÉM: Dortmund tem um início impecável de temporada, com nove vitórias e muitos gols de Aubameyang

Mantendo o estilo voraz dos melhores tempos de Jürgen Klopp, o Borussia Dortmund deu boas provas de suas grandes virtudes nos lances dos gols que definiram a partida. É verdade que Bernd Leno falhou no primeiro tento, em saída desastrada que permitiu a inauguração do placar aos 19 minutos. No entanto, é preciso elogiar também o contra-ataque de manual dos aurinegros, em jogada que começou na própria área. Kagawa deu lançamento de 50 metros para Jonas Hofmann, que partiu em velocidade contra a defesa aberta e aproveitou o erro do goleiro para estufar as redes.

Ao longo do primeiro tempo, o Dortmund manteve o domínio, mas sem criar tantas chances de gol. O que mudou na etapa complementar, com outro predicado do time escancarado no segundo gol: o toque de bola envolvente e agressivo. A excelente troca de passes, aproveitando os mínimos espaços deixados pelo Leverkusen, terminou em passe de Mkhitaryan para Kagawa fuzilar. Depois, aos 74, Aubameyang fechou a conta cobrando o pênalti, igualando Thomas Müller na artilharia da Bundesliga com seis gols. E a goleada só não se ampliou porque Leno compensou o erro e fez defesas essenciais no final, quando a sua defesa já tinha se entregue.

VEJA TAMBÉM: Do nascer ao pôr do sol em três minutos, veja como Dortmund vive um dia de jogo do Borussia

Tuchel não precisou nem mesmo contar com Marco Reus para conquistar a vitória, com Hofmann substituindo bem o craque do time. Na defesa, Ginter atuou na lateral direita e ajudou a dar solidez à dupla formada por Sokratis e Hummels, em grande tarde. Entretanto, muitos dos créditos pelo resultado também merecem ir à dupla de volantes. Weigl se firma de maneira brilhante no novo clube, passando enorme segurança apesar das poucas semanas de clube e dos 20 anos de idade. Já Gündogan recupera o seu melhor futebol, em forma e com a conhecida eficiência na construção do jogo. Isso, é claro, sem falar da mistura entre velocidade e talento do quarteto da frente, decisivo para o placar.

A vitória sobre o Leverkusen serve até mesmo de parâmetro: afinal, o Dortmund repetiu exatamente os 3 a 0 do Bayern sobre os adversários. Os aurinegros tiveram uma atuação mais contundente, finalizando mais e forçando mais Leno a trabalhar, enquanto os bávaros só não aumentaram a conta porque a trave evitou dois gols. Sinais da supremacia da dupla neste momento, mesmo contra um dos adversários mais qualificados. E que indicam uma disputa do nível de “Barcelona e Real Madrid”, ponto a ponto, pela Salva de Prata. Por este início, ninguém parece ter forças mesmo para se aproximar das duas potências alemãs.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo