A torcida do lamentou muito a perda de Mario Götze. Pela forma como aconteceu, pelo destino do meia e pelas esperanças que o camisa 10 alimentava. Uma perda superada pela raiva do ‘Judas’ e também pela contratação de Henrikh Mkhitaryan, que chegou para fazer a mesma função e por € 10 milhões a menos. Neste sábado, o armênio deu o motivo definitivo para os aurinegros esquecerem de vez o antigo ídolo. Ao mesmo tempo em que o alemão começa a justificar a fortuna desembolsada pelo Bayern por sua transferência.

Não há jogo mais importante para o Dortmund do que o clássico contra o . A equipe de foi a Gelsenkirchen com a faca nos dentes para enfrentar os rivais, em uma vitória que significaria bastante não só pelo simbolismo, mas também pela briga parelha pela liderança da Bundesliga. Voltou para casa com um contundente triunfo por 3 a 1, no qual Mkhitaryan foi o protagonista.

O primeiro tempo não contou com muito brilho do armênio, embora o Dortmund já tivesse garantido a liderança no placar. Pierre-Emerick Aubameyang aproveitou o presente de Marco Reus, enquanto Roman Weidenfeller salvou um pênalti cobrado por Kevin Prince-Boateng. Foi no segundo tempo que Mkhitaryan deu sua contribuição decisiva para os aurinegros. Serviu o golaço de Nuri Sahin e fez uma jogadaça para Jakub Blaszczykowski fechar a conta, pouco depois do gol de honra dos Azuis Reais, marcado pelo prodígio Max Meyer – outro meia central que merece muitas atenções.

A vitória foi a oitava do Borussia Dortmund em 10 rodadas da Bundesliga. E a liderança só não veio por culpa de quem? Sim, Mario Götze. Afastado do time de durante longo tempo por causa das lesões, o meia tem demorado a se firmar. Mas, que fique claro, não é por falta de talento. O alemão vem ganhando espaço nos últimos jogos e, mesmo como substituto vai resolvendo partidas para os bávaros.

Na última semana, Götze deu dois passes para gol e carregou o Bayern na virada sobre o Mainz 05. Já na quarta-feira, ele precisou de meia hora em campo para brilhar no massacre sobre o Viktoria Plzen, com um gol, uma assistência e uma bola na trave. E o poder de decisão foi reiterado neste sábado, ajudando seu time a virar o placar contra o por 3 a 2. O camisa 19 precisou sair do banco logo aos 24 minutos para substituir o lesionado Toni Kroos e anotou o terceiro gol, depois de outros dois de Mario Mandzukic.

Pelo que representou em sua passagem pelo Signal Iduna Park, cria da casa em um momento no qual o Dortmund se reencontrava com os títulos, o temor de que Götze fizesse falta era óbvio. Porém, os aurinegros conseguiram potencializar ainda mais seu jogo vertical com Mkhitaryan, enquanto Marco Reus ganhou mais espaço para ser protagonista. Enquanto isso, o Bayern tenta lapidar aquele que promete ser o maior craque alemão de sua geração. Quem está ganhando nessa? Por enquanto, são os espectadores da Bundesliga.