Alemanha

Diego quem?

A goleada por 6 a 0 do Werder Bremen sobre o Freiburg, fora de casa, na última rodada da Bundesliga, pode até soar estranho para alguns, mas para quem acompanha a temporada dos Papagaios não se surpreendeu nem um pouco com o placar dilatado. Já são 20 partidas da equipe sem saber o que é derrota – 14 vitórias e seis empates, contando o Campeonato Alemão, Copa da Alemanha e Liga Europa.

As grandes fases do goleiro Wiese, do zagueiro brasileiro Naldo e do atacante peruano Pizarro, que chegou inclusive a fazer a pré-temporada no Chelsea, mas acertou seu retorno ao Werder, são alguns dos trunfos da equipe vice-líder da Bundesliga. E mais do que isso. Os meio-campistas ofensivos conduzem o alviverde e fazem a torcida esquecer de vez Diego, que foi para a Juventus.

Desde que chegou à Alemanha, proveniente do Porto, em 2006, o meia brasileiro se transformou em referência no Bremen e também no grande destaque da Bundesliga, levando o prêmio de melhor jogador do campeonato em 2007. Quando acertou sua transferência para o futebol italiano, no começo de 2009, um clima de desconfiança pairou sobre o Weserstadion. Será que o Werder conseguiria suprir a ausência do seu melhor jogador nas últimas três temporadas?

A resposta vem sendo dada a curto prazo. O jovem Mesut Ozil, de 21 anos, e que é meio turco, meio alemão, assumiu a responsabilidade e tomou conta do time com sua habilidosa perna esquerda. As boas atuações renderam até recentes convocações para a seleção alemã e, possivelmente, uma vaga de titular na Copa do Mundo de 2010. Seu nome já entrou até na pauta de contratações de Manchester City, Arsenal e Sevilla na próxima janela.

Mas Ozil não faz o meio-de-campo funcionar sozinho. Com a camisa 10 procurando outro dono após a saída de Diego, o Werder Bremen foi buscar no Borussia M'Gladbach o promissor Marko Marin, também não alemão “da gema” – é nascido na Bósnia-, de apenas 20 anos de idade. Ele vestiu o manto com propriedade, sem medo, e também já ganha suas primeiras oportunidades na Nationalelf, vislumbrando o Mundial na África.

A dupla Ozil-Marin promete continuar infernizando os zagueiros adversários e levar o Werder a voos mais altos. E assim sendo, Diego cada vez mais fará parte apenas da memória dos torcedores alviverdes.

Alemanha na Liga

As três equipes germânicas chegam à última rodada da Champions League dependendo de suas próprias forças para se classificarem para as oitavas-de-finais.

Nas duas últimas rodadas, o Stuttgart deu sinais de vida e ainda sonha (quem diria) com uma vaga no mata-mata. Fora de casa, empatou com o Sevilla e venceu o Rangers, dependendo agora de uma viória em casa sobre o Unirea para ultrapassar os próprios romenos e ficar com a segunda colocação da chave. Se empatar ou perder, está fora.

O Wolfsburg também só depende de si para continuar na Liga. Perdeu para o CSKA de virada, em Moscou, mas conseguiu manter a vice-colocação do grupo atrás apenas do Manchester United. A conta aqui é simples. Se os Lobos vencerem os ingleses na Volkswagen Arena no último jogo, se classificam; se empatarem, torce para o CSKA não derrotar o Besiktas, na Turquia; em caso de derrota, o Wolfsburg torce para os turcos baterem os russos.

Já o Bayern de Munique, que suou a camisa para derrubar o Maccabi Haifa na Allianz Arena com gol solitário de Olic, necessita de um triunfo sobre a Juventus, em Turim, no último jogo. Tarefa das mais árduas, mas não impossível. Klose, Ribéry e Robben, todos machucados, não jogaram a partida diante dos israelenses.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo