Copa da Alemanha
Tendência

O segundo veio bem mais rápido que o primeiro: RB Leipzig vence o Frankfurt e é bicampeão da Copa da Alemanha

Em um jogo bem travado e nervoso, Christopher Nkunku decidiu a favor dos Touros Vermelhos

Talvez o primeiro título seja o mais difícil porque o segundo não demorou para o RB Leipzig. Neste sábado, uma final travada e de poucas oportunidades de gol pendeu a favor dos Touros Vermelhos. Christopher Nkunku marcou, com um chute que desviou no meio do caminho, e deu a assistência para Dominik Szoboszlai fechar a vitória por 2 a 0 sobre o Eintracht Frankfurt, que garantiu o bicampeonato da Copa da Alemanha no Estádio Olímpico de Berlim.

A ascensão meteórica do RB Leipzig dentro do futebol alemão é conhecida e gerou opiniões contundentes a favor ou contra. Desde a chegada à Bundesliga, o clube financiado pela Red Bull se consolidou no grupo de elite, apenas uma vez fora dos quatro primeiros colocados, com dois vice-campeonatos e semifinais de Champions League e Liga Europa. O que faltava era um título de primeira divisão para estrear a prateleira de troféus da jovem agremiação.

Ele veio edição passada da Copa da Alemanha, com a vitórias no pênaltis sobre o Freiburg, após um começo fraco de temporada. Mais uma vez, o Leipzig teve que mudar os rumos, com a troca de Domenico Tedesco por Marco Rose, e conseguiu arrancar para ser o terceiro colocado, a apenas cinco pontos dos líderes. Em paralelo, emplacou outra grande campanha no mata-mata e, na decisão, superou um time que justificadamente ganhou a fama de copeiro nos últimos anos.

Se o Eintracht Frankfurt completou 30 anos sem terminar a Bundesliga entre os quatro primeiros, o seu desempenho nas copas é excelente. Foi vice-campeão da Copa da Alemanha em 2016/17 e a conquistou no ano seguinte. Fez duas semifinais de Liga Europa em quatro anos, com um título, e, embora tenha derretido na Bundesliga, perdendo a chance de se classificar à Champions League, conseguiu mais vez alcançar a decisão.

Sabe como são as finais, né? RB Leipzig e Eintracht Frankfurt fizeram um primeiro tempo de muita intensidade, pegado, e com poucos espaços nos dois lados. Cada time deu três finalizações, embora o Leipzig tenha ficado com mais posse de bola. Um raro momento mais limpo surgiu logo aos quatro minutos, após erro de Aurélio Buta, que permitiu a arrancada de Szoboszlai. Ele rolou na esquerda, Timo Werner recebeu livre, mas bateu fraco, e Kevin Trapp defendeu sem problemas.

Foi o único chute certo dos 45 minutos iniciais. Kolo Muani, para variar, era o jogador mais ativo do Frankfurt e encaixou uma boa jogada, aos 16. Após um bonito dribla pela meia direta, entrou na área e bateu no lado de fora da rede. Depois de muito tempo de acontecimentos parcos, Christopher Nkunku recebeu em profundidade de Konrad Laimer e bateu da entrada da área. Com desvio, para escanteio.

O segundo tempo não foi muito diferente do primeiro. O Leipzig teve um pouco mais de volume de jogo, mas Götze chegou a ter uma boa chance, aos 19 minutos, frustrada por defesa de Janis Blaswich. Sete minutos depois, Dani Olmo ficou com a bola na entrada da área e entregou para Nkunku. O francês começou a costurar adversários em busca do ângulo para a finalização, que talvez fosse defendida por Trapp, se não tivesse desviado em Evan Ndicka.

Nkunku foi um dos melhores jogadores da última temporada europeia e sua ausência na Copa do Mundo por lesão foi sentida. Atualmente, é o craque deste time do RB Leipzig e deve trazer interessados no mercado de transferências. O respeito que os adversários têm por ele ficou claro no lance do segundo gol. Depois de um erro de Christopher Lenz na saída de bola, Nkunku recebeu na entrada da área, de costas, e atraiu toda a atenção da defesa do Frankfurt. Com habilidade, fez o pivô e encontrou Szoboszlai livre pela direita.

Szoboszlai, em temporada de afirmação e também chamando muita atenção, dominou e bateu cruzado para dobrar a vantagem e a quantidade de títulos do RB Leipzig.

Foto de Bruno Bonsanti

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.
Botão Voltar ao topo