Copa da Alemanha

O Bayern não teve qualquer piedade do Bremer SV na Copa da Alemanha: enfiou 12 a 0, sua maior goleada em 24 anos

Choupo-Moting anotou quatro gols e deu três assistências contra o adversário da quinta divisão

Todo mundo esperava uma goleada do Bayern de Munique na primeira fase da Copa da Alemanha. Os bávaros encararam o inexpressivo Bremer SV, que se classificou como representante regional, embora dispute apenas a quinta divisão alemã. E, mesmo com um mistão, a equipe de Julian Nagelsmann caprichou no placar: venceu por 12 a 0 dentro do Weserstadion, em Bremen. É a segunda maior goleada do clube na competição, abaixo apenas dos 16 a 1 sobre o DJK Waldberg na primeira fase da Copa da Alemanha de 1997/98. Eric Maxim Choupo-Moting foi quem mais aproveitou a ocasião, com quatro gols e três assistências.

A partida precisou ser adiada em duas semanas por conta dos casos de COVID-19 no Bremer. E o Bayern não precisava escalar seus protagonistas nesta noite. Nomes como Manuel Neuer e Robert Lewandowski foram poupados do esforço. A equipe titular tinha como suas principais referências Joshua Kimmich e Thomas Müller. Além disso, Nagelsmann aproveitou para dar espaço no 11 inicial a Jamal Musiala, que fez ótima partida contra o Colônia no final de semana. O garoto seria um dos destaques em Bremen, embora a fome maior fosse mesmo de Choupo-Moting.

O Bayern terminou a primeira etapa vencendo por 5 a 0. Choupo-Moting anotou uma tripleta, além de dar uma assistência para Musiala. O outro gol foi contra, mas numa finalização de Musiala que ia a caminho do gol. Impressionava a facilidade dos bávaros nas trocas de passes dentro da área. E quem também apareceu foi Leroy Sané, vaiado no final de semana, que explorou a fragilidade dos adversários pela esquerda.

Na volta para o segundo tempo, Nagelsmann tirou Müller, Kimmich e Niklas Süle. Mesmo assim, o time não baixou de ritmo e marcou dois gols em cinco minutos, com Malik Tilman e Musiala – este, na jogada mais bonita da noite, fintando a marcação e botando no ângulo. Na sequência do jogo, os bávaros pareciam satisfeitos e passaram um bom tempo sem forçar tanto, apenas com o oitavo tento (de Sané) aos 20. Porém, nos dez minutos finais, depois de uma expulsão no Bremer, os visitantes despertaram. Cada ataque rendia um gol. Foram quatro, anotados entre os 35 e os 43. Choupo-Moting fez seu quarto, enquanto Michaël Cuisance, Bouna Sarr e Corentin Tolisso fecharam a conta.

O resultado não diz muito sobre como será a temporada do Bayern, em meio à transição no comando e os temores de que o elenco curto não dê conta das ambições. Ainda assim, num jogo fácil, os bávaros emplacaram uma goleada que nem outros esquadrões recentes conseguiram registrar. O resultado serve para elevar a confiança de alguns jogadores e ampliar os clamores para que Musiala seja mais vezes usado como titular.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo