Copa da Alemanha

O Leverkusen de video game de Xavi Alonso venceu de novo, se classificou e chegou a 21 jogos invicto

São 21 jogos sem perder para o Leverkusen de Xabi Alonso, que elimina o Paderborn e segue em frente na Copa da Alemanha

Sabe quando você resolve começar um novo save do modo carreira do EA Sports FC porque está cansado de só ganhar e não acha realista passar, por exemplo, dos 20 jogos de invencibilidade? Pois talvez se a vida fosse um video game, Xabi Alonso e seus comandados do Bayer Leverkusen poderiam estar a ponto de reiniciar o save. O time alemão jogou pela Copa da Alemanha contra o Paderborn nesta quarta-feira (6), venceu tranquilo por 3 a 1 e chegou a inacreditáveis 21 jogos de invencibilidade na temporada. Até o momento, simplesmente nenhum time foi capaz de infringir uma derrota ao Leverkusen de Xabi Alonso.

Leverkusen, como tem sido sempre, foi dominante e letal

Os primeiros três minutos do jogo tiveram um lance que foi crucial para entedermos o que tem sido jogar contra o Leverkusen. O Paderborn, com 2 minutos no placar, teve um pouco de posse de bola e, ao chegar perto da área, mas ainda fora dela, chutou. Foi para fora, mas deu a tônica: se você fica muito com a bola diante do Leverkusen de Xavi Alonso, logo vai perdê-la e, com seu time taticamente desmantelado, vai levar pancada. É assim que funciona.

E não demorou para a primeira pancada vir. Aos 11 minutos do primeiro tempo o Leverkusen começou com Andrich, zagueiro, uma troca de passes já no campo de ataque. Foi deixando o Paderborn acuado até achar Stanisic livre na direita, para cruzar tranquilo e encontrar Boniface livre para desviar e anotar 1 a 0. Quem não conseguiu anotar nada foi o Paderborn, atropelado por um caminhão de bom futebol.

É legal destacar que, com três zagueiros, Stanisic, que apareceu quase como um ponta direita, fazia parte justamente dessa linha de três defensores, o que nos diz muito desse time de Xabi Alonso. É um futebol total, onde todos apoiam e defendem com a mesma intensidade e no qual posição fixa não existe, apenas bom posicionamento para que o companheiro tenha sempre a melhor opção de passe — toques rápidos e para frente, de preferência.

Achar companheiro livre, inclusive, foi o que fez Exequiel Palacios aos 27 minutos ainda da primeira etapa. O Leverkusen havia perdido uma bola no campo de ataque e, em menos de dez segundos, a recuperou novamente com Andrich, posicionado, mesmo que zagueiro, na exata linha do meio-campo. A bola achou Palacios, que lançou Frimpong, esse sim um ala direito que funciona quase como ponta. O holandês segurou um pouco a bola e, enquanto o Paderborn se preparava para um cruzamento, achou o próprio Palacios, que enfiou um balaço de fora da para ampliar o placar.

O Leverkusen não para quando está ganhando e isso é incrível

Mesmo tendo finalizado os primeiros 45 minutos com uma vantagem considerável, o Leverkusen não parou de tentar chegar a mais um gol durante a segunda etapa. É nítido que o estilo de Xabi Alonso tem muito disso: pressionar até mesmo quando se está ganhando, buscar o ataque mesmo com vantagem de dois gols. E isso faz do Leverkusen um dos times mais legais e letais da Europa nesta temporada.

Foram 12 finalizações, seis delas no gol, apenas na segunda etapa — e isso com a vantagem de 2 a 0 no placar em um jogo de mata-mata. O Paderborn tentou equilibrar as coisas, mas não tinha velocidade e qualidade suficiente para se livrar do estilo envolvendo do time de Xabi Alonso. Como tem sido nas outras partidas, destaque para a agressividade dos laterais-alas-pontas do técnico: além de Frimpong, pela direita, Grimaldo, este pela esquerda, foram fundamentais.

Claro que tanta pressão ofensiva pode custar alguns contra-ataques e foi isso que levou o Paderborn a diminuir. O Leverkusen não conseguira ampliar a vantagem de dois gols e viu, aos 38 do segundo tempo, o adversário escapar e Klaas, em chute de fora da área, enquanto um companheiro estava caído dentro da área, chamando atenção de todos, fazer o 2 a 1.

Mas pela direita, como foi quase todo o jogo, o Leverkusen conseguiu voltar a ficar com dois gols de vantagem. Melhor em campo, Frimpong achou Schick aos 43 minutos da segunda etapa para dar números finais a partida e deixar a dúvida: quem conseguirá derrotar o Leverkusen de Xabi Alonso? Já tentaram 21 vezes e falharam em todas, boa sorte.

Foto de Livia Camillo

Livia Camillo

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Botão Voltar ao topo