Copa da Alemanha

Freiburg amassa o Hamburgo e, com méritos além dos 90 minutos, disputará sua primeira final de Copa da Alemanha

Com três gols no primeiro tempo, o Freiburg resolveu o jogo logo cedo e agora aguarda RB Leipzig ou Union Berlim na final

Desde que Christian Streich assumiu o Freiburg, há dez anos, o clube viveu uma transformação no futebol alemão. De mero figurante, passou a frequentar a metade de cima da tabela e a frequentar as copas europeias. Mesmo um rebaixamento não abalou as estruturas e o clube da Floresta Negra voltou mais forte. E a temporada atual representa o ápice dessa década frutífera. Enquanto briga até por vaga na Champions League pela Bundesliga, o Freiburg conquista a inédita classificação para a decisão da Copa da Alemanha. Contra o Hamburgo, um adversário mais tradicional, a equipe não se intimidou com o clima no Volksparkstadion e resolveu a parada logo no primeiro tempo. Foram três gols antes do intervalo, com os Dinossauros descontando só no fim para fechar a conta em 3 a 1. É um momento inesquecível para o Freiburg, que estará no Estádio Olímpico de Berlim dentro de um mês.

O Freiburg imprimiu um ritmo forte desde os primeiros movimentos, mas o Hamburgo chegou a assustar aos cinco minutos, numa cabeçada de Robert Glatzel para fora. Não passou de um susto. Quando o time da primeira divisão realmente chegou, abriu vantagem. Aos 11 minutos, o primeiro gol surgiu na sequência de um escanteio. O goleiro Daniel Heuer Fernandes não conseguiu afastar o perigo e Nils Petersen completou de cabeça, com a meta aberta. Já aos 16, os visitantes marcaram o segundo. Depois de uma roubada de bola no campo de ataque, Nicolas Höfler chutou de fora da área e contou com um desvio para chegar às redes.

O Hamburgo tentou reagir na sequência do primeiro tempo. Anssi Suhonen testou o goleiro Mark Flekken e boas jogadas saíam pelo lado direito, com Bakery Jatta. Porém, era uma situação bastante desfavorável contra um oponente claramente mais forte. E o cenário se tornou pior aos 35 minutos, quando um pênalti claro para o Freiburg foi marcado com ajuda do VAR. Vincenzo Grifo chutou com força, no alto da meta, e ampliou a diferença no marcador. Para desanimar mais, quando o HSV descontou logo na sequência, o gol foi anulado por impedimento. Assim, o Freiburg precisou só administrar o resultado até o intervalo.

O Hamburgo não se deu por vencido no início do segundo tempo e tentava diminuir. Quase todas as jogadas passavam por Jatta, mas sem superar Flekken quando pôde concluir logo aos cinco minutos. O Freiburg não precisava se desgastar tanto, mas também poderia ter feito o quarto quando Roland Sallai acertou o lado de fora da rede. Ainda assim, era um jogo com cara de resolvido que não oferecia muitas emoções. Entre cartões e substituições, as chances de gol eram raras. Na reta final, o gol de honra do HSV ainda parecia mais provável. Viria já aos 43, numa cabeçada livre de Glatzel. Nada que atrapalhasse a festa do Freiburg, que ainda acertou a trave pouco depois, num chute de longe de Ermedin Demirovic. A missão estava cumprida.

O Freiburg tinha chegado no máximo à semifinal da Copa da Alemanha. A chance de disputar a decisão inédita vem com todos os méritos, e pode motivar o ótimo desempenho também vivido na Bundesliga. Além disso, a eliminação do Hamburgo já garante um campeão inédito na Pokal. O adversário do Freiburg será o vencedor do duelo entre RB Leipzig e Union Berlim, que se encaram nesta quarta, dentro da Red Bull Arena. A decisão, no Estádio Olímpico de Berlim, está marcada para 21 de maio.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo