AlemanhaBundesliga

Com uma campanha brilhante na segundona, Bielefeld desbancou os gigantes e volta à Bundesliga após 11 anos

A segunda divisão da Bundesliga 2019/20 começou com dois claros favoritos ao acesso: o Hamburgo e o Stuttgart. Dois clubes tradicionalíssimos que buscam sua redenção. O fracasso dos Dinossauros na última campanha, porém, indicava que nada estava garantido na equilibrada segundona. E com os dois gigantes tropeçando nas próprias pernas, quem aproveitou foi o Arminia Bielefeld. Com duas rodadas de antecipação, sem nem mesmo precisar entrar em campo nesta terça, a equipe confirmou seu acesso com uma campanha excelente. Estão de volta à elite após 11 anos, à sua 18ª aparição no primeiro nível.

Fundado em 1905, o Arminia Bielefeld possui sua dose de tradição. Durante a década de 1920, os Azuis disputaram a fase final do Campeonato Alemão, após boas campanhas na liga regionalizada da Vestfália. Depois da Segunda Guerra Mundial, a equipe zanzou pelas divisões de acesso até participar pela primeira vez da Bundesliga em 1970. Não seria uma boa lembrança, contudo, já que o clube foi rebaixado por manipular resultados na tentativa de permanecer na elite.

Depois de seis temporadas na segundona, o Arminia Bielefeld retornou à primeira divisão em 1978. Até a primeira metade dos anos 1980, foi uma equipe de meio de tabela, mas uma forte crise financeira abateu a agremiação e ela degringolou até a terceira divisão em 1988. A reconstrução na terceirona, mais lenta, culminaria em dois acessos consecutivos até a reaparição na elite em 1996. Então, os Azuis atravessariam uma fase relativamente relevante, variando entre figurantes na Bundesliga e candidatos ao acesso imediato na segundona. Jogadores notáveis passaram por lá nesse período – com menções principais a Ali Daei, Stefan Kuntz, Fritz Walter, Patrick Owomoyela e Bruno Labbadia.

Entre 2004 e 2009, o Arminia Bielefeld emendou cinco temporadas consecutivas na Bundesliga. Repetiu sua maior sequência na primeira divisão, mas sem passar do 12° lugar. A partir de então, com a má gestão atrapalhando o time, os Azuis voltaram a entrar em declínio e precisaram conquistar duas vezes o acesso na terceirona. A tranquilidade só seria recuperada após 2015, com o restabelecimento na segunda divisão. A diretoria chegou a vender o estádio Bielefelder Alm a uma administração externa composta por empresários locais, no intuito de evitar os riscos de insolvência, e zerou as dívidas, até que o bom cenário nos bastidores culminasse na escalada atual.

Um personagem essencial ao acesso do Arminia Bielefeld é o técnico Uwe Neuhaus, assistente de Matthias Sammer no Dortmund campeão em 2001/02 e bastante identificado com o Union Berlim por uma longa passagem na capital. Ele assumiu os Azuis em dezembro de 2018, quando o time corria riscos de rebaixamento, e o levou ao sétimo lugar na segundona. Já em sua primeira temporada completa, em 2019/20, mostrou como o elenco estava em suas mãos. A grande figura do time é o capitão Fabian Klos. O atacante de 32 anos chegou a Bielefeld em 2011, na terceirona, e foi artilheiro da equipe em sete das últimas oito temporadas. Desta vez, deve ser também artilheiro da segunda divisão, somando 19 tentos. Forma uma prolífica parceria com o ponta Andreas Volglsammer , enquanto Marcel Hartel é o principal armador.

No geral, o elenco do Bielefeld não possui a mesma tarimba de outros concorrentes – incluindo também Hannover 96 e Nuremberg, de campanhas modestas na temporada. Também nem é uma equipe tão jovem, com a maioria dos titulares acima dos 25 anos. Contudo, a base de Neuhaus deu ótimos resultados aos Azuis. O time sofreu apenas duas derrotas em 31 rodadas, com 16 vitórias. O rendimento como visitante costuma ser até melhor do que em casa e há um bom equilíbrio, entre a melhor defesa e o segundo melhor ataque da liga. O futebol consistente e atrativo valeu um acesso soberano.

Embora os muitos empates nas primeiras rodadas tenham contido o Arminia Bielefeld à terceira colocação, atrás de Hamburgo e Stuttgart, o time disparou ainda no primeiro turno – por seus méritos, mas também pelo excesso de tropeços de seus concorrentes. O bom início no segundo turno permitiu que os Azuis abrissem diferença na liderança e, mesmo com os empates sendo mais comuns nesta volta da Bundesliga, o clube se valeu da péssima fase dos perseguidores para sobrar. Nesta quinta, o Bielefeld recebe o Darmstadt em casa e pode até confirmar o título, dependendo do resultado do Stuttgart no dia anterior. Será uma partida emblemática, considerando que, em 2014, os Azuis foram rebaixados à terceirona com uma virada inacreditável sofrida ante o próprio Darmstadt na prorrogação dos playoffs. Fabian Klos, o volante Tom Schütz, o zagueiro Stephan Salger e o goleiro Stefan Ortega são os remanescentes.

Durante suas passagens pela Bundesliga entre os anos 1990 e 2000, o Arminia Bielefeld se marcou como uma equipe um tanto quanto insossa, que não fazia por merecer grandes atenções. O bom desempenho nesta segundona, com a manutenção do elenco e reforços pontuais, pode ajudar os Azuis a ganharem um pouco mais de destaque em busca da permanência na elite. A relação forte de Fabian Klos com a camisa, finalmente podendo alcançar a primeira prateleira, será uma história a ser contada. Resta saber o quanto o atual bom trabalho poderá levar o Bielefeld além de seus próprios limites históricos.

Enquanto isso, a expectativa fica sobre quem conquistará a segunda vaga direta do acesso. O Hamburgo soma 54 pontos, mas bobeou de novo ao só empatar em casa com o Osnabrück. O Stuttgart vem em terceiro, com 52, e pode ficar à frente caso garanta o triunfo sobre o Sandhausen nesta quarta. E quem dormir no ponto ainda corre o risco de perder a posição ao Heidenheim, que não é tão regular, mas está a uma distância suficientemente perigosa para descolar ao menos uma vaga nos playoffs de acesso. O mata-mata contra o antepenúltimo colocado da elite, além do mais, deve guardar embates difíceis contra Werder Bremen ou Fortuna Düsseldorf. Melhor ao Arminia Bielefeld, que não deu chances ao azar e ainda deve ganhar uma taça à coleção.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador detectado

A Trivela é um site independente e que precisa das receitas dos anúncios. Considere nos apoiar em https://apoia.se/trivela para ser um dos financiadores e considere desligar o seu bloqueador. Agradecemos a compreensão.