Bundesliga

Depois de quebrar o recorde, Lewandowski fez uma bela homenagem a Gerd Müller, através da esposa do veterano

Enquanto Gerd Müller vive numa casa de repouso por causa do Alzheimer, a esposa Uschi recebeu um presente especial de Lewa

Robert Lewandowski demonstrou, em diferentes momentos de sua trajetória pelo Bayern de Munique, uma reverência a Gerd Müller. O centroavante já deu várias declarações sobre como os feitos do antigo goleador o motivam e indicou também seu carinho sobre a figura de Der Bomber. Tal respeito esteve presente na penúltima rodada da Bundesliga, quando Lewa igualou o recorde de Gerd, exibindo uma camiseta com o rosto do veterano. E se repetiu também neste final de semana, após o polonês deixar sua marca na vitória sobre o Augsburg e registrar 41 gols na Bundesliga, um a mais que o alemão em sua lendária campanha de 1971/72.

Gerd Müller enfrenta há cinco anos o mal de Alzheimer e seu estado de saúde se deteriorou bastante desde então. Aos 75 anos, o antigo artilheiro mora numa casa de repouso. Diante da situação, ele não pôde estar presente nas homenagens. Então, Lewandowski prestou tributo à esposa do velho craque. O centroavante deu para Uschi Müller um buquê de flores e também uma camiseta com a inscrição “4 Ever Gerd”, como a usada no dia em que o recorde foi igualado. A camiseta ainda tinha uma dedicatória especial escrita por Lewa a Gerd Müller e Uschi.

“Eu ainda nem consigo avaliar a importância desse recorde para a minha vida. Mesmo no momento com os 40 gols foi algo especial. Era simplesmente inimaginável para mim que eu poderia chegar a essa marca. Eu nem ousava sonhar que eu poderia marcar tantos gols em uma só temporada”, disse Lewa, depois da partida contra o Augsburg. “Eu sei que Gerd Müller realizou um feito histórico e eu tenho o mais alto respeito por ele. Ele estabeleceu esta marca em 1971/72. Era um mundo diferente, um futebol diferente, uma geração diferente. Depois de quase 50 anos, nós e o Bayern agora criamos algo novo e fizemos história”.

Nos últimos anos, Uschi Müller é quem representa o marido em eventos do Bayern de Munique. Em novembro, ela declarou ao jornal Bild que o Alzheimer avançou nestes últimos cinco anos e que Gerd “está dormindo próximo de seu fim” na casa de repouso onde ele mora. Uschi visita o veterano todos os dias e certamente mostrará uma camiseta que representa tanto ao futebol alemão. Através de seu recorde, Lewa ajudou a deixar as lembranças sobre Gerd Müller um pouco mais vivas nestes últimos meses.

“Gerd está calmo e em paz. Ele dorme durante a maior parte do dia. Fica quieto, não parece estressado. Ele está bem neste momento”, diria Uschi, nesta semana, em entrevista ao Welt. “Gerd daria os parabéns a Lewandowski. Ele sempre ficava surpreso que ninguém tinha conseguido alcançar seu recorde depois de tanto tempo. A partir do momento em que a marcação por zona foi introduzida, ele esperava alguém marcando 40 gols. Dizia que havia ‘muito espaço’. Gerd não sentia inveja, pelo contrário: ele seria o primeiro a parabenizá-lo, com toda certeza”.

“Gerd sempre tinha dois homens em seu encalço. Com Lewandowski, por seu porte atlético, isso é impossível. Não dá nem para comparar os dois. Robert é um atleta, Gerd era um artista. O que ele fazia com a bola era incrível. Como esposa, preferiria que Gerd ficasse com o recorde. Mas mesmo com Lewandowski acima, Gerd sempre será Gerd. Sempre na memória, sempre ‘Der Bomber’ da nação”, complementou Uschi.

O Bayern de Munique, inclusive, terá uma exposição especial em seu museu sobre Gerd Müller. “Gols para Eternidade” foi concebida em novembro, por conta dos 75 anos do artilheiro, e está preparada para quando o local puder receber público novamente – a estimativa de abertura acontece em julho de 2021, após a Eurocopa. Será uma chance a mais de conhecer as façanhas do goleador e perceber por que o feito de Lewandowski nesta temporada é tão grande.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo