AlemanhaMundo

Apesar do placar apertado, Alemanha mostrou qualidade e padrão de jogo ao vencer Austrália

A estreia da Alemanha deixou algumas impressões para o técnico Joachim Löw, que levou uma seleção bem jovem e sem suas principais estrelas para a Copa das Confederações. A vitória por 3 a 2 em Sochi mostrou uma Alemanha bastante superior aos australianos tecnicamente e que só não teve um jogo mais tranquilo por sua falta de intensidade. Com Julian Draxler como capitão, a Alemanha mostrou ser um time com um estilo de jogo e que, jogando a 100%, pode ser a melhor seleção da competição.

LEIA TAMBÉM: Estrelado por Dembélé, o Top 10 de assistências da Bundesliga 2016/17 é um deleite

Logo a cinco minutos, a Alemanha marcou 1 a 0 em uma bela jogada pela direita de Julian Brandt, que foi até a linha de fundo e cruzou para trás, rasteiro, para Lars Stindl, que bateu bem na bola. Só que o empate veio ainda no primeiro tempo. Tom Rogic chutou de longe e o goleiro Bernd Leno aceitou: 1 a 1. Em termos de desempenho, a Alemanha era melhor, mas pagou o preço por não manter a mesma intensidade ao longo do primeiro tempo.

Só que a Alemanha ainda ficaria em vantagem mais uma vez antes do intervalo. Aos 44 minutos, Leon Goretzka foi derrubado na área por Massimo Luongo. O árbitro apontou a marca do pênalti. Julian Draxler, capitão da seleção alemã, cobrou e marcou 2 a 1. Logo no início do segundo tempo, aos três minutos, os alemães ampliaram o placar. Joshua Kimmich achou Goretzka na área e o meia chutou forte para marcar 3 a 1.

Só que o jogo ganharia mais emoção aos 11 minutos. Rogic chutou, a bola desviou em Tomi Juric, Leno espalmou para frente, atrapalhado, e o próprio Juric marcou. O lance foi para revisão do VAR (Video Assistant Referee) e acabou mesmo validado. O placar em 3 a 2 deixou os australianos animados, que tentaram partir para o ataque em busca do empate. O técnico Ange Postecoglou colocou em campo Tim Cahill, atacante veterano, mas o empate não veio.

Os alemães, apesar do placar apertado, sobraram em campo, controlaram o jogo na sua metade final e ainda tiveram uma perigosa bola na trave, acertada por Timo Werner, que entrou no segundo tempo. Ficou a impressão que com um pouco mais de intensidade, o time teria vencido com mais facilidade.

“Estou decepcionado. No primeiro tempo, eles foram bons demais para nós. Nós demos muito espaço a eles e talvez tivemos um pouco de respeito demais. O segundo tempo foi melhor. Nós nos compusemos e fomos mais inteligentes defensivamente”, afirmou o técnico Postecoglou. “Não há questão que esse time tem caráter. Os jogadores querem se testar contra os melhores jogando de uma certa maneira e nós iremos continuar a fazer isso”.

“No primeiro tempo, nós jogamos muito bem, com boas combinações. Nós tivemos bom controle e fomos incisivos. O ruim é que vencemos apenas por 2 a 1, apesar de criar muitas oportunidades. No segundo tempo, nós perdemos nossa linha comum, e precisamos trabalhar para continuar como foi no primeiro tempo”, analisou o técnico alemão, Joachim Löw. “Em geral, eu acho que nós fomos muito bons. Mas não temos que criar expectativas tão altas em um time tão jovem”.

A Alemanha se igualou ao Chile, que também venceu na estreia, com três pontos no Grupo B. Os dois times voltam a campo nesta quinta-feira, em Kazan, para se enfrentarem pela segunda rodada. O jogo será às 15h, no horário de Brasília. O SporTV transmite a partida.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo