AlemanhaCopa do Mundo

Ainda sem Reus, Alemanha tem um elenco recheado de talento para jogos com Espanha e Brasil

O técnico da Alemanha, Joachim Löw, anunciou 26 convocados para os amistosos contra Espanha e Brasil nos dias 23 e 26 de março. Entre eles, sete jogadores do Bayern de Munique, base da seleção. Entre os nomes chamados, Leon Goretzka, Lars Stindl e Sandro Wagner, jogadores que ganharam chances na Copa das Confederações em 2017, com um time quase todo reserva da Alemanha. Marco Reus ainda não aparece na lista, assim como nenhum jogador do Borussia Dortmund. A lista de convocados, porém, é recheada de talento.

LEIA TAMBÉM: Como a Copa do Mundo e a Liga Europa se inserem na crise entre Reino Unido e Rússia

Leon Goretzka foi um dos que mais subiu de nível desde a Copa das Confederações. Destaque no torneio, se tornou um alvo ainda mais intenso de diversos clubes europeus. Seu contrato com o Schalke 04 se encerra em junho de 2018. Ele acertou com o Bayern de Munique e se juntará à legião de jogadores da seleção no elenco bávaro.

Lars Stindl, do Borussia Mönchengladbach, também conseguiu seu espaço e também parece um candidato a estar na lista final de 23 jogadores que vai à Copa do Mundo. Sandro Wagner é quem mais sofre para conseguir um lugar no grupo. O centroavante voltou ao Bayern de Munique, seu clube de formação, em janeiro, mas é apenas reserva de Robert Lewandowski. Tem que brigar por espaço com o próprio Stindl, além de Timo Werner, que parece já garantido – e com boas chances de ser titular.

“Nós fizemos um esforço consciente de começar este ano de Copa do Mundo com um grupo maior de jogadores. É importante para nós concentrar no trabalho com os jogadores e começar a ter diálogos mais pessoais com todos eles. Nós obviamente estamos conscientes que as próximas semanas são muito importantes nas temporadas dos seus clubes. Esta é a prioridade deles neste momento”, afirmou o treinador.

“Tudo o mais importante, contudo, é que eles estejam cientes do quão crítico esses jogos são no nosso processo de seleção para o elenco final que estará na Copa do Mundo no verão [europeu]. Sucesso e desempenho é o mais importante para nós, então nós queremos ver que os jogadores estão prontos para dar o seu máximo para atingir isso. Se nós queremos ser bem-sucedidos na Rússia, nós temos que recuperar toda a vontade que nos levou a percorrer todo o caminho quatro anos atrás”, disse ainda Löw.

Reus ainda fora da lista

Uma das expectativas da convocação era a chamada de Marco Reus, que voltou recentemente de lesão e tem jogador bem pelo Borussia Dortmund. Ele não aparece entre os convocados, assim como seus companheiros de clube. Nenhum jogador do Dortmund foi chamado, como Mario Götze e André Schürrle.

“É muito importante para nós que marco seja trazido lentamente que não haja ainda mais pressão sobre ele. Ele precisa estar livre de fores e totalmente saudável acima de tudo. Ele também precisa treinar e jogar com regularidade durante um período estendido para voltar ao ritmo e, com isso, reconstruir sua confiança”, afirmou Löw sobre o jogador.

“Nós temos um enorme grupo de jogadores para selecionar de várias posições, mas para outras não temos tanto. Para essas posições, nós precisamos de jogadores que sejam flexíveis e possam jogar em múltiplos papeis. Contudo, a porta para a convocação para a Copa do Mundo definitivamente não está fechada e há alguns jogadores que nós estaremos com um olho atento nas próximas semanas”, continuou o treinador, indo na linha que parece muito com a do Brasil de Tite.

Espanha e Brasil como adversários

“Os jogos contra Espanha e Brasil serão testes realmente duros contra times do mais alto nível de futebol de seleções. Estes jogos não se tratam de resultados, contudo, à parte um pouco de orgulho nacional. Eu quero ver o quanto de paixão nós jogamos e como colocamos nossa tática em prática. Eu tenho muito respeito pelos dois times e eles claramente melhoraram desde a Copa do Mundo 2014. Cada um dos países poderia muito bem levantar o troféu no verão”, analisou Löw.

A Alemanha joga contra a Espanha em Düsseldorf no dia 23 de março e depois contra o Brasil em Berlim no dia 27.

Os convocados:

Goleiros: Bernd Leno (Bayer Leverkusen), Marc-Andre ter Stegen (Barcelona), Kevin Trapp (Paris Saint-Germain)

Defensores: Jerome Boateng (Bayern Munich), Matthias Ginter (Borussia Monchengladbach), Jonas Hector (Cologne), Mats Hummels (Bayern Munich), Joshua Kimmich (Bayern Munich), Marvin Plattenhardt (Hertha Berlin), Antonio Rudiger (Chelsea), Niklas Sule (Bayern Munich)

Meio-campistas: Sami Khedira (Juventus), Toni Kroos (Real Madrid), Julian Brandt (Bayer Leverkusen), Emre Can (Liverpool), Julian Draxler (Paris Saint-Germain), Leon Goretzka (Schalke), Ilkay Gundogan (Manchester City), Thomas Muller (Bayern Munich), Mesut Ozil (Arsenal), Sebastian Rudy (Bayern Munich), Leroy Sane (Manchester City), Lars Stindl (Borussia Monchengladbach)

Atacantes: Timo Werner (Leipzig), Mario Gomez (Stuttgart), Sandro Wagner (Bayern Munich)

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo