O Gzira United é um clube pouco expressivo até mesmo para os padrões do Campeonato Maltês. O time da cidade portuária de mesmo nome surgiu em 1947 e participa nesta temporada pela terceira vez das copas europeias. Pois os nanicos acabaram protagonizando uma das grandes histórias da rodada. O favoritismo ia todo ao tradicionalíssimo Hajduk Split, ainda mais depois da vitória dos croatas por 2 a 0 na visita a Malta. Nesta quinta, porém, os desafiantes conseguiram o impossível: reverteram o placar em Split com o triunfo por 3 a 1, garantindo a classificação graças ao tento fora de casa. Um épico que teve virada no marcador, uma bicicleta fantástica e ainda outro gol decisivo aos 52 do segundo tempo.

O Hajduk Split pareceu encaminhar a classificação no Estádio Poljud logo no início da partida. Bassel Jradi abriu o placar aos croatas aos sete minutos. A reação do Gzira United só começou no segundo tempo. Um dos quatro brasileiros titulares na noite, o atacante Jefferson (reserva do Novo Hamburgo campeão gaúcho em 2017) deixou tudo igual aos 12. Entretanto, quem doutrinou foi o marfinense Hamed Koné, justamente quando o Hajduk pressionava. Primeiro, ele executou uma absurda bicicleta de primeira, da entrada da área, e garantiu a virada aos 24. Depois, no sétimo minuto dos acréscimos, concedeu a inimaginável classificação num contra-ataque. Acertou um belo chute colocado e enterrou as chances dos anfitriões. A eliminação do time da casa terminou em confusão nas arquibancadas.

Pela segunda temporada consecutiva, o Gzira United passa de fase na Liga Europa. A diferença é que, em 2018/19, os nanicos eliminaram o igualmente inexpressivo Sant Julià, de Andorra. Depois, não suportaram o Radnicki Nis, da Sérvia. Antes disso, os malteses só haviam participado das competições da Uefa em 1973/74, quando pegaram os noruegueses do Brann e tomaram de 9 a 0 no agregado durante a primeira fase da Recopa Europeia. Durante as últimas temporadas, contudo, os Marrons retomaram sua relevância no Campeonato Maltês e vêm de dois terceiros lugares.

O atual técnico do Gzira United é o italiano Giovanni Tedesco, que fez carreira como jogador de Fiorentina, Perugia, Genoa, Palermo e outros clubes de seu país durante a virada do século. Além disso, como várias equipes de Malta, há uma presença considerável de estrangeiros. Além de Jefferson, os demais brasileiros são Arthur Henrique (ex-Santo André), Rodolfo Soares (cria da base do Fluminense) e Fernando Barbosa (ex-Alecrim). Nomes desconhecidos por aqui, mas que fazem a história na Europa. O adversário na próxima fase é o Ventspils, da Letônia, bem mais acostumado ao cenário europeu. Mas, depois do que rolou na Croácia, dá para os nanicos continuarem ambicionando mais.