Salcedo: Carrasco da Libertadores

Para os amantes do futebol que já conhecem a Trivela.com, não é estranho dedicar espaço a um jogador que atua no futebol paraguaio. Afinal, o mundo do futebol não se resume a alguns poucos países europeus, como dão a entender atitudes e eleições ligadas a FIFA.

Durante a disputa da Copa Libertadores, precisamente até as oitavas-de-final, os brasileiros, principalmente torcedores do Palmeiras, Santo André e Atlético-PR, se acostumaram com a presença do atacante Santiago Salcedo. Pior do que isso, habituaram-se a sofrer gols deste jovem paraguaio do Cerro Porteño.

‘Sa–Sá’, como é chamado em seu país, marcou nove gols em oito jogos, fato que o coloca entre os artilheiros da competição, mesmo após a eliminação do Cerro. Aliás, contra o Atlético-PR, o destino reservou a Salcedo a missão de selar o caminho do clube azul-grená na Libertadores. Diante 25 mil torcedores no estádio La Olla, Salcedo desperdiçou a cobrança de pênalti que eliminou o Cerro Porteño da competição.

Entretanto, alguns dias depois, lá estava o artilheiro. De cabeça em pé, com moral e confiança suficiente para marcar os dois tentos que garantiram o empate por 2 a 2 diante o Tacuary e conseqüentemente o título do Torneo Apertura, com duas rodadas de antecedência. O detalhe é que Santiago Salcedo também foi artilheiro da competição, marcando nove gols.

Mesmo não sendo um centroavante nato, Salcedo carrega instinto de goleador. Com faro apurado, o atacante se destaca pelo bom posicionamento dentro da área e um pensamento rápido, sem esquecer do oportunismo. É daqueles jogadores que incomodam a zaga adversária durante toda a partida.

A carreira

É ao menos curioso o fato de que, até pouco tempo atrás, Salcedo não tinha posição definida em campo. Atuava como meia de ligação, responsável por armar as jogadas ofensivas de sua equipe. No começo da carreira, o atual artilheiro da Libertadores chegou a atuar como segundo volante, muito distante do gol e da área adversária. Sua mudança de posicionamento deve ser atribuída ao atual treinador do Cerro, o argentino Gustavo Costas. Daí em diante, o atleta parece ter encontrado seu verdadeiro lugar. Não por acaso, mas graças ao olhar e astúcia de seu treinador.

O sucesso como atacante levou a sua primeira convocação para a seleção principal do Paraguai (vale lembrar que Salcedo já havia sido convocado para as seleções de base de seu país). O treinador Aníbal Ruiz chamou o jogador para as partidas contra Brasil, em Porto Alegre, e Bolívia, em Assunção, ambos válidas pelas eliminatórias da Copa do Mundo da Alemanha. A primeira oportunidade de atuar apareceu na partida contra a Bolívia, no estádio Defensores del Chaco. ‘Sa–Sá’ entrou no decorrer da partida, quando a equipe paraguaia administrava a fácil vitória por 4 a 1. Dessa vez, ele não balançou as redes. No entanto, podem ter certeza, oportunidades não irão faltar.

Assim como todo jogador sul-americano, Salcedo sonha com uma transferência para o futebol europeu. Sua trajetória se confunde com a de alguns atletas brasileiros que fracassaram em países emergentes da Europa. Ainda jovem, Salcedo teve uma apagada passagem pelo futebol turco.

Ídolo da torcida do Cerro, um dos clubes mais populares de seu país, artilheiro da Libertadores, campeão e artilheiro do Apertura, e atualmente com grandes chances de se firmar no grupo que busca uma vaga na próxima Copa. Em seu clube atua ao lado de seu irmão mais jovem, José Domingo Salcedo, titular do meio-campo do Cerro. Ou seja, todos estes aspectos positivos a seu favor não o fizeram pensar duas vezes antes de acertar sua transferência para o futebol japonês.

Alguma semelhança com o futebol brasileiro?

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo