As coisas mais surpreendentemente interessantes que lemos hoje

Mil minutos do Juventus

O texto é de Alexandre Giesbrecht, e conta como o Juventus do técnico Mílton Buzetto conseguiu ficar quase 18 horas sem sofrer gols na década de 1970. Grandes tempos do Molque Travesso e uma deliciosa história para se ler. Aproveitem.

CBF vai conversar com Globo para acabar com jogos das 22 horas de quarta-feira

A matéria é da Camila Mattoso, no site da ESPN, e conta sobre os planos de Marco Polo Del Nero em conversar com a Globo sobre o horário das 22h. Segundo o dirigente, esse horário era o amis adequado para o torcedor, mas não é mais, então faz sentido falar com a emissora, que nunca impôs nada. Será que podemos acreditar nisso? É esperar para ver.

Tevez bate asas com a cabeça no Boca. Surge outro argentino no horizonte da Juve

O texto é do blog de Leonardo Bertozzi, no site da ESPN, e fala sobre o pensamento de Tevez lá no Boca Juniors, mesmo com o seu contrato vigente com a Juventus até 2016. Se Carlitos resolver bater asas e voar para Buenos Aires já ao final desta temporada, outro argentino é o alvo: Paulo Dybala, do Palermo, que vem sendo destaque no time da Sicília.

Facção que atua nos presídios ordenou chacina de torcida, diz Polícia Civil

Matéria de Vinícius Segalla, do UOL, mostra a versão do delegado para a chacina que matou oito pessoas na sede da torcida organizada Pavilhão Nove, do Corinthians. Seria uma disputa por pontos de tráfico de drogas. O caso, segundo as autoridades, nada teriam a ver com futebol.

A tourada dos minotauros

O post é de Daid Butter, no blog Chuteira Preta, no Globoesporte.com. A crônica fala sobre a disputa entre Flamengo e Vasco que remete desde os tempos das touradas (sim, o Rio tinha touradas) e como esse é um clássico que representa disputas que existiam muito antes dos dois clubes. Fala de um duelo de minotauros, porque não há toureiros. É uma manifestação que libera instintos, que vai além da razão.

O pior inimigo do Flamengo não foi a Federação, Bandeira; foi a bola

No seu blog, Márvio dos Anjos fala sobre o óbvio, porém às vezes deixado para trás, como na entrevista do presidente Eduardo Bandeira de Mello: o inimigo mais duro do Flamengo foi o futebol que deixou de apresentar na hora da onça beber água.

 

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo