A África é logo ali

“O tema é batido”, me dizem meus colegas de redação. Tudo bem, vamos bater mais um pouco. Se a gente fizer como todo mundo e parar de falar, o Dunga vai tranqüilo até a Copa de 2010 convocando Doni, Fernando e Afonso.

Pra começo de conversa, acho importante mencionar de novo a questão da idade dos convocados. Se é verdade que alguns jogadores que hoje ainda estão no auge de sua forma podem já ter parado até 2010, também é verdade que a eliminatória da Copa, por si só, já constitui uma competição. Assim, a única atitude possível é convocar o melhor time disponível – mesclado com as promessas que podem substituir os titulares de hoje até 2010.

Assim, não há qualquer motivo para que o melhor goleiro do mundo na atualidade, Rogério Ceni, não seja titular absoluto da Seleção. Assim como não pode haver qualquer justificativa para a convocação de Doni, um goleiro irregular, que deixa passar muito mais boloas do que deveria e que, principalmente, não dá nenhuma segurança para a zaga.

No capítulo aberrações, a lista é pródiga. A presença de Maicon só pode ser explicada pela falta de alternativas na posição. Se é assim, por que Dunga nunca convocou Rafinha, do Schalke, para um de seus inúmeros testes? Na lateral esquerda, Gilberto simboliza as contradições do treinador brasileiro: tem mais de 30 anos, não tem idade para estar na Copa, mas está presente desde que Dunga entrou. O capítulo Alex Silva é o mais grave. O zagueiro do São Paulo, bom no alto, não é mais ou menos por baixo, é ruim, mesmo. Ao seu lado no Tricolor jogam um zagueiro excelente, pronto, Miranda, e Breno. Tudo bem, chamar o Breno agora é queimá-lo, mas deixar o Miranda e levar o Alex Silva é ridículo.

No meio-campo, a aberração é Fernando. A única explicação para sua presença na Seleção é o interesse em valorizá-lo. Se for assim, o negócio e deixá-lo no banco. Em campo, ele só se desvaloriza. Julio Baptista, repito pela centésima vez, não é meia. Não sabe passar, não tem domínio de bola e é lento. No ataque, pode funcionar, porque é forte, cabeceia bem e chuta reto. Não é um craque, mas, na atual ausência de goleadores, poderia fazer esse papel. Desde que fosse colocado para jogar no ataque.
Fecha a convocação com chave de ouro o nome do reserva do Heerenveen, Afonso Alves.

Está claro: a grande preocupação de Dunga é mostrar que pode fazer o que quiser, e que está cagando para o que a imprensa pensa. Seus adversários na elminatória, incluindo a Argentina, são todos meia-boca, ou seja, ele vai se classificar com folga, mesmo com Afonso e Fernando. Ou seja: se todo mundo ficar quieto olhando, o vexame vai ser só na África do Sul. E a África, amigo, como todo mundo sabe, é logo ali…

Observação: A entrevista coletiva de Dunga pós-convocação é um show de horror. Ao invés de perguntarem ao técnico como é que ele convoca um cara que nem ao menos está jogando no Heerenveen, os palhaços perguntam se ele acha que, em caso de título na Copa do Mundo feminina, o Brasil deve ter uma estrela rosa na camisa. É impressionante! Todas as primeiras perguntas foram sobre o futebol feminino!

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo