Portugal

Prestianni irá para o Benfica ao fazer 18 anos e pode receber a coroa do próprio Dí Maria

Após acordo verbal feito em agosto, Prestianni chegará ao Benfica por 8 milhões de euros em janeiro, quando fizer 18 anos

O acordo verbal feito em agosto entre Benfica e Vélez Sarsfield deve ser concretizado nos próximos dias e levar Gianluca Prestianni, talvez uma das maiores promessas argentinas nos últimos anos, a seguir uma tradição hermana nos Encarnados. O acordo estaria sendo fechado em 8 milhões de euros imediatos e mais 2 milhões em metas atingidas. Além disso os fortineros manteriam 15% do jogador visando uma venda futura — coisa que o Benfica sabe fazer muito bem.

A chance para Dí Maria passar a coroa adiante

Na tradição de contratações argentinas feitas pelo Benfica, talvez nenhuma tenha somado tantos fatores positivos quanto a de Angel Dí Maria. Ele chegou ao clube português no meio de 2007, no mercado de transferências do verão europeu daquele ano e, desde então, se tornou um dos maiores jogadores da história benfiquista.

Além do desempenho acima da média, que o faria ser levado em 2010 pelo Real Madrid, Dí Maria conquistou os torcedores pela raça em campo, aliada a uma técnica bastante rara. Pelas pontas, foi o condutor de três títulos em sua primeira passagem pelo Benfica: ganhou o Campeonato Português de 2009/10, antes de se despedir, e duas Taças da Liga de Portugal seguidas, em 20098/09 e depois em 2009/10.

O sentimento encarnado por ele só aumentaria quando, após ser campeão da Copa do Mundo pela Argentina, Dí Maria voltou a escolher o Benfica. Assinou, para esta temporada, contrato de um ano e, além de ser um dos grandes nomes da campanha de, até o momento, liderança na Liga Portugal, terá a chance de passar a coroa da tradição para Prestianni.

O garoto do Vélez chega em janeiro, na próxima janela de transferências, logo após completar 18 anos — o fará em 31 de janeiro do ano que vem e, só aí, poderá esperar. Pegará a metade final da segunda passagem de Dí Maria pelo Benfica e, com características parecidas, será visto como herdeiro natural. Ao lado do experiente compatriota, terá alguma paz para se adaptar e apresentar o chamativo futebol que mostrou no Vélez.

A tradição argentina no Benfica

Mas Dí Maria, apesar de ser o maior, não é o único argentino de sucesso a passar pelos Encarnados. Recentemente, o Benfica foi palco europeu da meteórica ascensão de Enzo Fernández. O volante deixou o River Plate rumo a Lisboa e, com menos de 30 partidas pela equipe portuguesa, foi vendido por mais de 100 milhões de euros ao Chelsea após uma Copa do Mundo para lá de boa pela Argentina.

Voltando um pouco mais no passado, mas não tanto assim, temos os quase 150 jogos de Nicolás Otamendi, que rumou do Benfica para o Manchester City. Lisandro López, outro zagueiro, e Enzo Pérez, mais um meio-campista, são jogadores argentinos que deram certo no Benfica, assim como Ezequiel Garay, Nico Gaitán e Pablo Aimar.

Uma tradição que começou em 1941, com a chegada de Alejandro Scopelli, atacante e primeiro argentino a vestir a camisa encarnada. Cena que viria se repetir anos e anos depois, em 1994, quando um então suspenso Cannigia chegou para ficar um ano, não lá tão marcante, mas que deu o pontapé de retorno dos argentinos ao Benfica, uma história que Prestianni tentará continuar a partir de 2024.

Como joga Gianluca Prestianni?

Prestianni subiu cedo, ainda com 16 anos, aos profissionais do Vélez Sarsfield. Por conta do físico franzino, apenas 1.65m, anda tem algumas dificuldades nessa transição de saída do futebol de base. Mas mostra características que o fizeram se destacar: é veloz, driblador e incisivo. Claro, recebeu muitas comparações, mas nenhuma delas cabe aqui.

Na Liga Profesional de Fútbol, o Campeonato Argentino, participou de 23 partidas pelo Vélez nesta temporada, sendo titular em 13 e somando uma média de 57 minutos jogados por partida, o que indica sua incapacidade física de momento. Fez dois gols, ambos com a perna direita que é se destaque — e o coloca no lado oposto do campo em relação a Dí Maria. Nele, o Benfica, como fez diversas outras vezes olhando para o mercado sul-americano, investe em futuro, tanto financeiro quanto em campo.

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Existe um ditado que diz que o bom filho a casa retorna não é? Pois bem, sou Lucas de Souza, redator e repórter do Futebol na Veia, de volta ao site após quatro anos, e agora redator do Trivela, um dos maiores portais de futebol do Brasil. Sou jornalista, especializado em Marketing digital e narrador do Portal Futebol Interior e também da RP2Marketing.
Botão Voltar ao topo