Mundo

Uruguai não fez mais que a obrigação contra o Taiti

Nunca uma classificação foi tão fácil para o Uruguai. Precisando apenas vencer o Taiti por mais de quatro gols e não ver uma vitória da Nigéria contra a Espanha, a Celeste conseguiu cumprir sua missão na Arena Pernambuco sem grandes problemas e até com uma ajudinha da fraquíssima e mal armada defesa taitiana: 8 a 0 e com direito a pênalti perdido.

A confiança dos taitianos se acabou com dois minutos no relógio. Eles, que esperavam fazer uma atuação mais digna do que as duas partidas anteriores, levaram um balde de água fria quando Abel Hernández cabeceou e desviou uma bola que veio de Scotti, pelo alto. O gol não impulsionou o Uruguai ao ataque, muito pelo contrário. Confortável, trocou passes na defesa, no meio-campo e demorou a assustar outra vez.

Foi aí que o pessoal da Celeste encontrou a mina de ouro: a linha de impedimento mal treinada. Quase todos os gols depois do segundo saíram em jogadas semelhantes. Quase ninguém precisou correr, quanto menos marcar o Taiti, que se atrapalhava sozinho com a bola. Quando descia ao ataque, o Uruguai brincava entre os cinco defensores adversários, lançando pelo alto ou indo até a linha de fundo e jogando para dentro da área.

Não há muito o que dizer além de mais uma atuação valente dos taitianos e em especial do terceiro goleiro, Meriel, que pegou um pênalti de Scotti. O zagueirão uruguaio ficou tão frustrado em ter desperdiçado a chance que logo no minuto seguinte cometeu uma falta feia e levou o segundo cartão amarelo, conseguindo a façanha de ser expulso contra a seleção mais simpática que já jogou um torneio Fifa.

Uruguai terá de jogar o seu potencial máximo contra o Brasil

Apesar do caminhão de gols contra o Taiti, o Uruguai estará em apuros na semifinal. O adversário será o Brasil, que além do apoio da torcida, vem embalado e com um time bem mais consolidado no torneio do que os comandados de Óscar Tabárez. Na quarta-feira, a única esperança uruguaia está em repetir 1950 e contar com um bocado de sorte. Pois na bola, no talento e na vontade, os brasileiros já estão em vantagem.

Formações iniciais

football formations

Destaque do jogo

Abel Hernández fez quatro gols e aproveitou quase todas as chances que teve no jogo. Mais do que o faro de gols, também roubou a cena com o seu penteado meio Cortez, meio Hélio De la Peña e totalmente fora do convencional. Parabéns ao artilheiro e ao cabeleireiro que pensaram neste corte.

Momento-chave

Scotti, no alto de seus 38 anos de idade, partiu para a bola e tentou converter um pênalti que seria o quinto gol uruguaio na partida. Mas ele bateu tão mal que o goleirão Meriel caiu para a direita e encaixou. Logo ele, o terceiro goleiro da delegação taitiana. Ah, o futebol…

Os gols

2/1T – GOL DO URUGUAI!
Abel Hernández desvia de cabeça uma bola alta na área do Taiti e marca o primeiro gol do Uruguai na partida!

24/1T – GOL DO URUGUAI!
Hernández de novo! Ele recebe um passe longo, domina e chapela um zagueiro, para bater tranquilo no meio do gol com a saída do goleiro.

27/2T – GOL DO URUGUAI!
Bola longa na área do Taiti e Diego Pérez fica sozinho para cabecear a bola!

46/1T – GOL DO URUGUAI!
Outra vez a defesa do Taiti dá mole e Abel Hernández domina sem marcação para chutar no canto!

16/2T – GOL DO URUGUAI!
Gargano carrega pela esquerda e chuta cruzado, a bola bate em Lodeiro e vai parar no fundo do gol!

22/2T – GOL DO URUGUAI!
Abel Hernández acerta uma cobrança de pênaltis e chuta no canto esquerdo de Meriel.

37/2T – GOL DO URUGUAI!
Suárez ganha na corrida e sai livre para chutar no alto e fazer o sétimo. Adivinha só, a defesa taitiana fez errado a linha de impedimento…

45/2T – GOL DO URUGUAI!
Suárez de novo! E ao seu estilo, driblando o zagueiro na entrada da área e chutando no canto!

Curiosidade

Abel Hernández é o primeiro uruguaio a fazer quatro gols numa mesma partida em torneios organizados pela Fifa. (via @2010MisterChip)

Ficha técnica

URUGUAI 8X0 TAITI

Uruguai_escudo Uruguai
Martín Silva, Sebastián Coates, Andrés Scotti, Álvaro Pereira, Matías Aguirregaray, Diego Pérez, Walter Gargano, Sebastián Eguren, Gastón Ramírez (Luis Suárez), Nicolás Lodeiro e Abel Hernández. Técnico: Óscar Tabárez
Taiti Taiti
Gilbert Meriel, Teheivarii Ludivion, Nicolas Vallar, Ricky Aitamai (Edson Lemaire), Lorenzo Tehau (Stanley Atani), Vincent Simon, Jonathan Tehau, Henri Caroine, Steevy Chong Hue, Marama Vahirua e Samuel Hnanyine (Yohann Tihoni). Técnico: Eddy Etaeta
Local: Arena Pernambuco (Recife-BRA)
Árbitro: Pedro Proença (POR)
Gols: Abel Hernández (2/1T, 24/1T, 46/1T, 22/2T), Diego López (27/2T), Lodeiro (16/2T), Suárez (37/2T, 45/2T)
Cartões amarelos: Ludivion, Vallar e Chong Hue, (Taiti), Gargano, Scotti e Diego López (Uruguai)
Cartões vermelhos: Scotti (Uruguai), Ludivion (Taiti)

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é editor-chefe da Revista Relvado, zagueiro ocasional, ex-jornalista, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo