Mundo

Os 23 finalistas da Bola de Ouro da Fifa, segundo as estatísticas

A Bola de Ouro da Fifa é a principal premiação individual do futebol, mas sujeita a critérios totalmente subjetivos. Os títulos e os gols ajudam na definição do melhor do mundo, ainda que não sejam uma imposição sobre os jornalistas, os técnicos e os capitães que elegem o craque do ano. O desempenho acaba sendo o principal parâmetro em uma votação na qual a grife também possui grande peso.

Mas, e se a escolha dos 23 finalistas da Bola de Ouro só adotasse critérios matemáticos? O WhoScored, excelente site sobre estatísticas, fez esse exercício. A base de dados da página possui um algoritmo que qualifica a atuação dos jogadores a partir do que fizeram em campo – gols, assistências, desarmes, passes certos, etc. A partir dessas notas, foi montada a lista de nomeados para o Ballon d’WhoScored  2013. Uma relação um tanto quanto surpreendente.

Não pelos três primeiros colocados: Lionel Messi, Cristiano Ronaldo e Franck Ribéry, justamente os favoritos para o Top 3 da Bola de Ouro. Na quarta colocação, a presença de Luis Suárez é até compreensível. Depois disso, o espanto toma conta. O único brasileiro é Diego, na quinta colocação. O meia do Wolfsburg aparece à frente de alguns indicados pela Fifa, como Robert Lewandowski, Arjen Robben, Gareth Bale, Bastian Schweinsteiger e Zlatan Ibrahimovic. E outros tantos azarões, do nível de Max Kruse, Ivan Rakitic e Juan Cuadrado. O WhoScored ainda faz justiça com alguns esquecidos, especialmente Marco Reus e Arturo Vidal.

Estranhou a ausência de Neymar? Ela tem uma explicação que não está nas notas baixas. A base de dados só levou em conta as partidas em 2013 pelas cinco principais ligas nacionais europeias, Liga dos Campeões, Liga Europa e Copa das Confederações. Além disso, o jogador precisava ter pelo menos 25 jogos para ser incluído. Neymar disputou só 17 partidas pelos torneios considerados. Sua média de pontos é de 8,02, na quarta colocação, logo atrás de Ribéry.

Confira a lista completa do WhoScored e a análise feita pelo site (em inglês):

2013-10-Ballon-1

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo