Tite precisará se preparar para não contar com uma parcela importante de seus jogadores nas próximas duas rodadas das Eliminatórias. A publicou um comunicado nesta sexta-feira, com medidas excepcionais à próxima . Os clubes não serão mais obrigados, em quaisquer circunstâncias, a liberar seus jogadores convocados. Por conta das restrições de viagens entre países, a entidade internacional garante certa proteção aos clubes. E, diante da situação do Brasil por conta da nova variante da COVID-19, a Seleção deve ser diretamente afetada nos jogos marcados para o fim março – contra a Colômbia, fora de casa, e contra a Argentina, em Pernambuco.

Os jogadores não precisarão ser liberados se, no país onde o clube estiver localizado, houver restrições de viagem ou quarentena obrigatória de pelo menos cinco dias em relação às regiões onde estarão com as suas seleções. Isso acontece para que os convocados não virem desfalques dos clubes enquanto estiverem cumprindo o isolamento. Da mesma forma, os clubes também não terão a necessidade de ceder atletas que precisarão cumprir quarentena de pelo menos cinco dias na chegada à seleção ou que não poderão desembarcar nos países dos compromissos da Data Fifa por conta de restrições ao local de onde saíram.

A Fifa ainda permite que as autoridades do país do clube concedam isenções específicas a jogadores convocados, para que viajem ao país de suas seleções e voltem sem cumprir quarentena. Caso não exista tal permissão, os clubes não são obrigados a liberar. “No contexto dos desafios que permanecem por conta da pandemia, o Conselho da Fifa decidiu fornecer uma flexibilidade adicional sobre a liberação de jogadores às seleções”, afirmou a entidade. Tal exceção é válida até o final de abril, também aplicável ao futebol feminino e ao futsal.

Atualmente, entre os países que restringem voos do Brasil estão Reino Unido, Alemanha, Itália, França, Portugal e Espanha. Nos cinco primeiros citados, há proibições mesmo a brasileiros com residência nestes países e, no caso mais permissivo, são obrigatórias quarentenas de sete dias na chegada. Assim, clubes da Premier League, da Bundesliga, da Serie A, da Ligue 1 e da Primeira Liga não precisarão liberar os convocados da Seleção se tais medidas sanitárias persistirem até o fim de março. Apenas na Espanha os residentes locais que chegam do Brasil não são obrigados a pelo menos uma quarentena. No momento, atletas de La Liga poderiam ser chamados.

Ao longo de 2020, 27 jogadores em atividade no exterior foram convocados à Seleção. Apenas oito poderiam ser chamados desta vez, por jogarem em equipes espanholas. E, obviamente, nada impede que o governo da Espanha adote medidas mais restritivas. Desta maneira, é provável que a convocação para os jogos contra Argentina e Colômbia se baseie nos clubes brasileiros – em desfalques provocados durante os estaduais.

Cabe dizer também que o Brasil não é a única seleção afetada por tal orientação da Fifa. Outras equipes sul-americanas também poderão colecionar desfalques que atuam nas ligas europeias, criando rodadas das Eliminatórias concentradas no futebol local. Mesmo seleções europeias terão problemas. Por exemplo, os clubes da Premier League não precisarão liberar jogadores de Portugal pelas restrições do momento, com as primeiras rodadas das Eliminatórias para a Copa de 2022 previstas para a próxima Data Fifa na Uefa. E diante da instabilidade da pandemia, não será surpreendente se novas medidas forem tomadas até o fim de março.