Mundo

Bye, Isinbayeva. Welcome, Kireni James, o novo Bolt

A mesma fria noite londrina mostrou o fim de uma lenda olímpica e o surgimento de um novo grande astro. Sai de cena a russa de olhos azuis, ídolo de um país de 140 milhões de habitantes. As atenções estão voltadas agora para o adolescente de Granada, ilha montanhosa do Caribe, de 90 mil habitantes.

Yelena Isinbaieva será ainda respeitada em toda prova que competir, mas já não terá a aura de invencibilidade que conseguiu com muitos e muitos recordes no salto com vara. Perdeu para Jennifer Suhr, dos Estados Unidos e para Yarislei Silva de Cuba, que não tiveram medo do vento.

Kireni James é o novo homem a ser batido nos 400m. Por um bom tempo, só Kireni James poderá bater Kireni James.

Todo esporte é movido por desafios. Recordes existem para serem quebrados. Campeões, para perderem o posto. E Kireni James é citado quando se fala em dois ícones a serem derrotados.

O primeiro é o recorde mundial dos 400m, em poder de Michael Johson desde 1999. O “pato” correu a distância em 43s18. Em Daegu-2011, Kireni, com 18 anos, lançou um aviso ao mundo: com 44s60 se tornou campeão mundial. Agora, em Londres, rompeu a barreira dos 44 segundos. Foi o décimo corredor da história a fazer isso. Com 43s60, o recado é outro, um grande sinal de alerta para o recorde mundial de Michael Johnson.

Só para lembrar: Michael Johnson rompeu a barreira dos 44 segundos perto de completar 25 anos, seis a mais do que tem o garoto de Granada.

Mas há mais. Por que não correr os 200 metros? Kireni é citado, ente os que gostam de desafios como o novo Bolt. O homem que pode derrotar o jamaicano nos 200m, que é sua prova preferida. “Pode ser um dia. Hoje, quero continuar nos 400m”, respondeu Kireni aos repórteres.

O mundo ideal, para quem for ao Rio-16 será ver Kireni James batendo um recorde mundial nos 400m e duelando com Bolt nos 200m. E é possível. Assim que os ingressos estiverem à venda, é bom ficar de olho.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo