Mundo

A Costa do Marfim deu trabalho, mas a França venceu o amistoso de virada, com um gol aos 48 do 2° tempo

Fora da fase decisiva das Eliminatórias, a Costa do Marfim fez bom jogo no Vélodrome, até que a França prevalecesse na reta final

A Costa do Marfim possui um dos melhores elencos da África, mas não conseguiu alcançar a fase final das Eliminatórias. Assim, numa sexta-feira decisiva em seu continente, os Elefantes estavam na Europa para um amistoso de respeito. Os marfinenses enfrentaram a França no Estádio Vélodrome e deram trabalho aos campeões do mundo, que estavam sem alguns de seus principais jogadores. Foi um duelo bem animado, mesmo sendo um amistoso. Apesar dos sustos, os Bleus buscaram a virada por 2 a 1, com o gol decisivo de Tchouaméni aos 48 do segundo tempo.

Sem Karim Benzema e Kylian Mbappé, a França entrou com Olivier Giroud e o estreante Christopher Nkunku no ataque, municiados por Antoine Griezmann. Didier Deschamps ainda apostou em Kingsley Coman e Theo Hernández como alas, num 3-4-3 que tinha Paul Pogba e Aurélien Tchouaméni no meio. Na Costa do Marfim, chamava atenção o trio de ataque composto por Wilfried Zaha, Sébastien Haller e Nicolas Pépé.

<iframe width="100%" height="580" src="https://www.sofascore.com/event/10130742/lineups/embed" frameborder="0" scrolling="no" style="max-width: 770px"></iframe>    <div style="font-size:12px;font-family:Arial,sans-serif"><a href="https://www.sofascore.com/ivory-coast-france/GObstVb" target="_blank" rel="noopener">France - Ivory Coast Live Score</a></div>

A França começou o jogo no ataque e teve as primeiras finalizações, incluindo uma furada enorme de Griezmann, mas a Cosa do Marfim logo mostrou que poderia aprontar. Pépé exigiria uma defesa segura de Hugo Lloris, antes de Zaha bater por cima. O gol dos Elefantes saiu nessa sequência, aos 18. Foi uma jogadaça de Pépé, que entortou Lucas Hernández e chutou rasteiro. Lloris também colaborou, em tiro que passou entre o goleiro e a trave.

A França pelo menos não ficou no prejuízo por tanto tempo e empatou aos 21. O entrosamento do Milan funcionou. Theo Hernández avançou pela esquerda e cruzou para o meio da área. Giroud escorou de cabeça. Os Bleus continuaram acesos e Nkunku deu uma cabeçada muito perigosa por cima. A Costa do Marfim não se entregava e um cruzamento fechado de Serge Aurier quase traiu Lloris. As alternâncias se seguiram até o intervalo, mas sem que nenhum dos lados conseguisse prevalecer.

A Costa do Marfim voltou melhor para o segundo tempo e Ghislain Konan bateria de longe, para mais uma boa intervenção de Lloris. Pouco depois, seria a vez de Aurier soltar o pé e parar novamente no goleiro, que evitava o pior aos franceses. A França levou cerca de 15 minutos até se acertar e tomar as rédeas no segundo tempo. Uma prova de que o time havia acordado veio com Griezmann, que bateu de primeira e acabou frustrado por uma defesaça do goleiro Badra Ali Sangaré, à queima-roupa.

Durante os 30 minutos finais, a Costa do Marfim pareceu sentir o cansaço. A França ditou o ritmo no campo de ataque e seguia tentando. Os substitutos franceses entraram com mais gás que os marfinenses – entre eles Jonathan Clauss, em sua estreia pela equipe nacional. Giroud rondava a meta adversária, mas os Bleus não conseguiam acertar suas finalizações. A comemoração da torcida marselhesa veio apenas aos 48, com o gol da vitória. Após a cobrança de escanteio de Matteo Guendouzi, Tchouaméni saltou no meio da área e executou a cabeçada fatal.

A França volta a campo na próxima terça-feira, em amistoso contra a África do Sul. Será mais um teste, contra uma seleção de fora da Europa. Apesar dos sustos nesta sexta, o resultado mantém o moral dos Bleus.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo