Mundial de Clubes

Real Madrid não vai jogar o novo Mundial? Fala de Ancelotti confunde mundo do futebol

Em entrevista para jornal italiano, Ancelotti afirmou que premiação oferecida pela Fifa não é atrativa, mas depois voltou atrás

O assunto super Mundial de Clubes da Fifa ganhou as páginas dos principais portais de esportes do Brasil e do mundo nesta segunda-feira (10).

Carlo Ancelotti, técnico do Real Madrid, foi categórico ao dizer que o clube espanhol não participará da nova competição proposta pela entidade máxima do futebol mundial.

O motivo? Segundo o próprio técnico italiano, o valor de premiação proposto pela Fifa estaria bem abaixo do esperado, sendo a principal razão para a recusa do campeão da Champions League em disputar o novo Mundial.

O Real Madrid não vai para o Mundial de Clubes. Rejeitaremos o convite, assim como outros clubes. Só um jogo do Real Madrid vale 20 milhões de euros (cerca de R$ 115 milhões) e eles querem nos dar esse dinheiro para toda a competição. De jeito nenhum. Negativo”. afirmou Ancelotti em entrevista ao Il Giornale.

Previsto para acontecer entre 15 de junho à 13 de julho de 2025, a Fifa ainda decidirá sobre os direitos de transmissão do novo Mundial de Clubes, bem como o prêmio de participação que receberá cada equipe.

Após a grande repercussão das palavras do treinador, o próprio usou suas redes sociais para dizer que suas palavras não foram interpretadas da forma como ele pretendia.

“De forma alguma tenho interesse em recusar a possibilidade de disputar um torneio que considero que possa ser uma grande oportunidade para seguir brigando por títulos com o Real Madrid”, escreveu o italiano.

Na sequência, o próprio Real Madrid, em nota oficial, afirmou nunca ter questionado a participação no Novo Mundial de Clubes e garantiu que disputará o torneio com muito “orgulho”.

Real Madrid é um dos clubes que mais gerou receita na temporada

A insatisfação de Ancelotti com o valor oferecido pela Fifa ao campeão do novo Mundial de Clubes pode ser justificada pelo potencial de arrecadação da equipe nesta temporada.

Segundo o relatório do Football Money League, o Real Madrid acumulou 831 milhões de euros (R$ 4,7 bilhões de reais) em receitas recorrentes no ciclo 2023/2024.

Deste valor, R$ 2,3 bilhões são oriundos das verbas de patrocínioslicenciamentos e vendas de produtos. Os direitos de transmissão equivalem a R$ 1,7 bilhão e as receitas de sóciossócios-torcedores e bilheteria equivalem a R$ 693 milhões de reais.

Se pegarmos este montante, e dividirmos pelos 55 jogos disputados pelos madrilenhos, o clube faturou mais de 15 milhões de euros por jogo (pouco mais de R$ 86 milhões de reais).

Portanto, o prêmio de 20 milhões de euros oferecidos pela Fifa, aproximadamente 115 milhões de reais, é irrisório, comparado ao que o Real Madrid faturou em outras competições.

Novo Mundial de Clubes enfrenta rejeição e críticas

Em 2023, o Manchester City bateu o Fluminense pelo placar de 4 a 0 e se consagrou campeão da última edição do Mundial de Clubes.

O antigo formato da competição, que dura desde 2005, passará por uma transformação, saindo de sete para 32 participantes a partir de 2025.

Anunciado ainda em 2022, o novo formato do Mundial de Clubes terá 12 representantes da Uefa, seis da Conmebol, quatro da Concacaf, quatro da AFC (Ásia), quatro da CAF (África), um do país-sede, e outro da OFC (Oceania). 

As equipes se classificam por meio do “caminho dos campeões”, seja vencendo sua liga continental, ou uma trajetória com base em seu desempenho recente em competições internacionais.

Alegando sobrecarga dos atletas por conta de mais um torneio no apertado calendário de jogos mundial, o novo campeonato de clubes da Fifa recebeu críticas de ligas e sindicato de atletas.

No mês passado, Gianni Infantino, presidente da Fifa, rebateu as alegações, defendeu a criação do campeonato, e a participação da entidade no desenvolvimento de mais competições.

“A Fifa organiza cerca de 1% dos jogos dos principais clubes do mundo. Todos os outros jogos, 98% a 99%, são feitos por outras organizações. Com estes jogos de 1% ou 2% que a Fifa organiza, ela está financiando o futebol em todo o mundo”, disse o presidente da Fifa.

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Lucas de Souza é jornalista formado pela Universidade São Judas em São Paulo. Possui especialização em Marketing Digital pela Digital House, e passagens pelos sites Futebol na Veia e Futebol Interior.
Botão Voltar ao topo