Mundial de Clubes

O Manchester City não precisou nem sair do ritmo de treino para vencer o Urawa Reds e chegar à final do Mundial

Manchester City cumpre protocolo, vence Urawa Red e enfrenta o Fluminense na final do Mundial de Clubes

Tudo conforme o esperado. Mesmo sem suas principais estrelas e sem a atenção dos europeus, o Manchester City venceu o Urawa Red Diamonds sem sustos, por 3 a 0, e será o adversário do Fluminense, que na segunda-feira (18) venceu o Al Ahly, do Egito,  na final do Mundial de Clubes. Os gols foram marcados por Hoibraaten (contra), Kovacic e Bernardo Silva.

A final do Mundial de Clubes entre Fluminense e Manchester City acontece na sexta (22), às 15h (horário de Brasília), no mesmo King Abdullah Sporting City Stadium.

Manchester City tem dificuldade no início

Embora fosse senhor do jogo desde as ações iniciais, o Manchester City teve mais dificuldades do que o esperado no primeiro tempo. A equipe comandada por Pep Guardiola não chegou a tomar sustos, mas não conseguia concretizar a posse de bola em finalizações.

As melhores chances saíam dos pés de Bernardo Silva, responsável pela primeira finalização em jogada trabalhada da equipe, aos 18 minutos. O português de toque refinado era o mais lúcido dos Citizens, que tinham no ótimo Rodri outra boa atuação. O espanhol arriscou duas vezes de fora, já que os japoneses fechavam bem a marcação na entrada da área.

Super Odds na Dafabet »

Manchester City melhora e abre placar com gol contra

O goleiro Nishikawa foi o melhor jogador do Urawa Red Diamonds no jogo, o que diz muito sobre o que foi a partida. Logo no primeiro tempo, ele operou dois milagres para salvar os campeões asiáticos, em chutes de Matheus Nunes e Phil Foden, aos 30 e 35.

O Manchester City insistia nas trocas de passe buscando espaços na grande área, ao seu estilo. Mas quando conseguia chegar ao “half space”, o cantinho da área, de onde saem a maioria dos seus gols, o time de Guardiola finalizava pouco. Tanto que o gol que abriu o placar não foi do ataque, mas da defesa.

Já nos acréscimos, Matheus Nunes tabelou pela direita e chegou à linha de fundo ao estilo posicional dos Citizens. O cruzamento foi forte, mas não alcançou Foden. Nem precisou. O zagueiro Höibraaten tentou cortar e jogou contra seu próprio patrimônio.

Em vantagem, City de Guardiola atropela o Urawa Red

Como já era de se esperar, a vantagem no placar fez o Urawa Red Diamonds virar presa fácil para o Manchester City. Com mais de 75% de posse de bola em grande parte do jogo, os ingleses passearam na segunda etapa.

Mesmo sem um centroavante, e talvez muito por isso, o City levou a defesa do Urawa à loucura. Não demorou para que o placar aumentasse. Aos seis minutos, Kovacic recebeu lançamento de Walker e tocou na saída de Nishikawa para fazer o segundo.

O campeão asiático não foi páreo para as trocas de passe rápidas do City. Tanto que os ingleses ampliaram aos 13, com Bernardo Silva pegando o rebote de um chute de Matheus Nunes, brasileiro naturalizado português — que também teve grande atuação.

Já com Álvarez, Bobb e Gvardiol em campo, o Manchester City transformou a semifinal do Mundial de Clubes em um treino de luxo. Nem mesmo erros defensivos de Ederson e Ake foram suficientes para dar qualquer graça ao jogo. Tanto que antes mesmo dos 30 minutos, muitos torcedores já deixaram o estádio.

Foto de Caio Blois

Caio Blois

Jornalista pela UFRJ, pós-graduado em Comunicação pela Universidad de Navarra-ESP e mestre em Gestão do Desporto pela Universidade de Lisboa-POR. Antes da Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo