Mundial de Clubes

Campo da estreia do Fluminense no Mundial apresenta falhas; Diniz abre mão de reconhecimento

Ao invés de reconhecimento do Estádio King Abdullah Sports City, Fernando Diniz optou por mais treino e descanso aos jogadores do Fluminense

Está chegando a hora! O Fluminense estreia nesta segunda-feira (18) no Mundial de Clubes, contra o Al Ahly, do Egito, às 15h (horário de Brasília). Neste domingo (17), o técnico Fernando Diniz concedeu a tradicional entrevista coletiva na prévia da partida, mas optou por não fazer o reconhecimento do gramado do Estádio King Abdullah Sports City, palco da semifinal.

Na maioria das vezes, os times participantes do Mundial costumam realizar tal reconhecimento, no entanto, a prática não é uma exigência Fifa, diferente da entrevista coletiva e zona mista. Diniz, ao lado do atacante Keno – que também respondeu a questionamentos dos jornalistas, chegou a dar uma olhada rápida no gramado do estádio antes de se dirigir para sala de imprensa. Mas foi só. O comandante preferiu mais tempo de treino e descanso. Por isso, os demais jogadores permaneceram treinando no CT e, na sequência, se dirigiram ao hotel em que a delegação tricolor está hospedada.

Mundial na Dafabet »

Gramado do King Abdullah Sports City não está em perfeitas condições

Presente na cidade de Jeddah, Arábia Saudita, onde o Fluminense se prepara para a semifinal do Mundial de Clubes, a Trivela esteve no King Abdullah Sports City neste domingo (17) e percebeu algumas falhas no gramado do estádio. A olho nu, o piso aparenta estar ressecado, com buracos (tampados com areia) e irregularidades. Em linhas gerais, a situação do campo não é ruim, mas está longe de obedecer ao chamado ‘padrão Fifa'.

Apesar disso, a entidade realiza os últimos ajustes antes de Fluminense x Al Ahly entrarem em campo nesta segunda-feira. Máquinas que simulam artificialmente a luz do sol foram colocadas sob o gramado. Além disso, profissionais Fifa adentraram no estádio e checaram os demais pontos do local, como banco de reservas e arquibancadas. A missão é deixar tudo em perfeita ordem para a semifinal entre brasileiros e egípcios.

Fernando Diniz, por sua vez, parece ter aprovado o gramado. Em entrevista coletiva, o técnico que, como citado, passou alguns minutos no campo de jogo, elogiou a situação do piso e se disse preocupado com outra questão: o fuso horário.

– Acho que o campo favorece muito, é ótimo. Dei uma olhada agora e o estádio está em condições excelentes. É um estádio muito bonito e a organização muito boa. Para superar a diferença com a bola é que estamos colocando os jogadores o máximo possível em contato com ela. A maior dificuldade que tivemos é a adaptação em pouco tempo ao fuso. Mas os jogadores estão procurando se adaptar o mais rápido possível e acredito que vá estar tudo bem para a partida – disse Diniz.

Provável escalação do Fluminense para semifinal do Mundial

Devidamente treinado e focado, o Fluminense está pronto para a estreia no Mundial de Clubes. E a tendência é que o Tricolor tenha força máxima para enfrentar o Al Ahly na semifinal do torneio. A escalação dos atuais campeões da América deve ser a mesma que o torcedor se acostumou a ver ao longo da temporada 2023.

São grandes as chances de Fernando Diniz repetir o time que começou jogando na final da Copa Libertadores, contra o Boca Juniors, no Maracanã.

Com isso, a provável escalação do Fluminense tem: Fábio; Samuel Xavier, Nino, Felipe Melo e Marcelo; André, Martinelli e Ganso; Arias, Keno e Cano.

Vale lembrar que caso elimine o Al Ahly, o clube carioca aguardará o vencedor de Urawa Reds x Manchester City na final do Mundial. Japoneses e ingleses medem forças nesta terça-feira (19), a partir das 15h (horário de Brasília), também no King Abdullah Sports City.

Foto de Caio Blois

Caio Blois

Caio Blois nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e se formou em Jornalismo na UFRJ em 2017. É pós-graduado em Comunicação e cursa mestrado em Gestão do Desporto na Universidade de Lisboa. Antes de escrever para Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo