Itália

Vale a pena

Alexandre Pato caiu em desgraça com o público brasileiro pelo seu desempenho com a camisa amarela da Seleção. Seu excessivo número de lesões cria desconfianças para os torcedores do Milan. Os excelentes números do atacante, porém, dão um indício que se desfazer dele não vale a pena.

Pato chegou ao Milan em 2007. Recebeu o prêmio de melhor jovem do ano na temporada 2008/09, sua melhor pelo Milan. Fez 18 gols em 42 jogos pelo clube. Também foi a temporada que fez mais jogos. Nas demais, não chegou a 40. Em 2009/10, fez 14 gols em 30 jogos. Em 2010/11 fez 16 gols em 33 jogos. Na atual temporada, tem três gols em 12 jogos.

São 137 jogos, com 60 gols marcados. Portanto, tem média de 0,44 gol por jogo. Se não é espetacular, é muito boa. Andriy Shevchenko, segundo maior artilheiro da história do Milan com 175 gols em 322 jogos, tem média de 0,54 gol por jogo, pouco mais que Pato.

O terceiro maior artilheiro do clube é Gianni Rivera, com 164 gols em 658 jogos, média de 0,25 gol por jogo. O sexto é Filippo Inzaghi, com 125 gols em 294 partidas, média de 0,42 gol por jogo. Média parecia com Pato. E, nesse caso, há outra semelhança: Pato costuma marcar contra adversários grandes. Algo que Pippo se acostumou a fazer durante a carreira.

Marcou em jogos contra o Real Madrid, Barcelona e contra a arquirrival Internazionale. Só contra este último, foram cinco jogos – contanto apenas os oficiais – e três gols marcados. Novamente: não é um jogador brilhante, mas tem uma eficiência interessante ao time.

É bom lembrar também que Pato tem 22 anos, o que lhe dá ainda muito tempo para jogar e aumentar as marcas que possui. Mantendo a sua média de gols e de jogos por temporada, Pato chegaria aos mesmos 175 gols do ucraniano quando estiver com 30 anos – ou seja, daqui oito temporadas. A marca seria alcançada com 76 jogos a mais do que Shevchenko, porém mais novo, já que foi ao clube rossonero com menos idade.

Pato poderia melhorar ainda mais sua marca se conseguir ter menos lesões e, consequentemente, jogar mais. Dificilmente o camisa 7 será um dos melhores do mundo a partir do que se viu até aqui, o que gera uma certa frustração em quem o viu surgir no Internacional, em 2007, sendo um garoto prodígio. Ainda assim, pode ser um jogador histórico do Milan e pode ser importante para a Seleção também.

A não ser que a proposta do Paris Saint-Germain seja de fato algo fora do normal, o Milan não deveria deixar Pato sair. Embora jogue menos do que poderia, é um jogador eficiente e que pode ser fundamental para o time.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo