Serie A

Zapata marcou um gol fulminante aos 43 do 2° tempo e deixou a Atalanta bem perto do G-4

A Atalanta visitou o Torino e voltou para casa com os três pontos, que aproximam a equipe da briga pela Champions

A Atalanta mais uma vez oscila na Serie A, mas tal irregularidade não é uma exclusividade sua. E numa temporada em que a briga pelo G-4 parece aberta, a Dea volta a reforçar suas condições. Depois de bater a Roma na rodada passada, a equipe conseguiu um triunfo dramático contra o Torino. Os 2 a 1 em Turim saíram somente nos minutos finais, com um gol salvador de Duván Zapata aos 43 do segundo tempo. Com isso, os Orobici jogam a Internazionale para o sétimo lugar e ficam a só dois pontos da zona de classificação à Champions League.

O primeiro tempo inteiro em Turim só teve uma finalização. E ela rendeu o primeiro gol da Atalanta, aos 34 minutos. Foi uma grande jogada de Davide Zappacosta, que avançou por todo campo ofensivo, fintou o marcador no jogo de corpo e chutou sem ângulo, entre a trave e o goleiro Vanja Milinkovic-Savic. O segundo tempo, ao menos, ofereceu mais emoções. O Torino empatou aos 30, num rebote de Marco Sportiello que Antonio Sanabria fuzilou na pequena área. Já a alegria da Atalanta se confirmou aos 43, com o gol decisivo de Zapata. Foi uma jogadaça do centroavante, que disparou mesmo cercado, deu uma finta de letra que deixou Perr Schuurs estatelado no chão e definiu com uma pancada no fundo das redes.

A Atalanta chega aos 55 pontos na Serie A. Ocupa a sexta colocação, com vaga momentânea na Conference League. Milan e Roma, que só empataram neste sábado, aparecem dois pontos à frente. Já a Internazionale caiu para o sétimo lugar, com 54 pontos, e tentará se recuperar no domingo, diante da Lazio. O Torino, por sua vez, está no 12° lugar. Soma 42 pontos, sem riscos e também sem pretensões.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo