Serie A

Duas viradas, cinco gols: o Milan lutou e venceu o Frosinone pela Serie A

O Milan venceu por 3 a 2 em jogo nem foi de tão alto nível técnico, mas rendeu emoção

Pela 23ª rodada da Serie A, o Milan e Frosinone não fizeram um bom jogo, mas ao menos proporcionaram muitos gols e reviravoltas no estádio Benito Stirpe neste sábado (3). O Rossonero abriu o placar, sofreu a virada e conseguiu retomar de novo a vantagem, fechando o placar em 3 a 2. Olivier Giroud brilhou ao marcar o primeiro gol e distribuir a assistência para o segundo. O herói improvável para o terceiro foi Luka Jović.

Leão é decisivo no 1º tempo – para o bem e para o mal

A etapa inicial começou devagar, quase parando. O Milan tinha bola, o esperado, enquanto o Frosinone se defendia em um 4-4-2. O Rossonero mostrou muita dificuldade para furar esse bloqueio, e os donos da casa não pareciam incomodados com esse cenário. Até que um contra-ataque mudou tudo. Rápida jogada por dentro, com participação essencial de Ruben Loftus-Cheek, chegou em Rafael Leão pela esquerda. O português cortou para o meio e colocou, como se fosse com a mão, na cabeça de Olivier Giroud, que subiu mais que Simone Romagnoli e mandou para o gol – o goleiro Stefano Turati até tentou tirar, mas a bola entrou.

O gol acordou os Giallazzurri. Eles começaram a acumular chances até empatar. Na primeira, Mike Maignan defendeu fácil. No entanto, depois, o arqueiro francês teve que esticar todo para evitar um bonito gol de Demba Seck, de longe. No escanteio dessa jogada, o empate. A equipe aproveitou a sobra, uma tentativa de cruzamento parou na mão de Leão, totalmente aberta, pênalti marcado. O meia Matías Soulé foi para cobrança e bateu bem, tirando do goleiro que acertou o lado.

A partida voltou aquele ritmo mais pausado com o empate no placar. O mais revelante lance foi um cruzamento de Leão, em outra escapada pela esquerda, no qual um desvio quase surpreende Turati.

Com reviravoltas, Milan consegue sair com vitória

Na etapa final, as coisas não mudaram muito até os 20 minutos. Nenhum dos lados era protagonista ou dominante. As chances claras eram raras, nada basicamente de relevante aconteceu até Stefano Piolo fazer duas trocas ao mesmo tempo. Tijjani Reijnders e Loftus-Cheek foram substituídos por Ismaël Bennacer e Noah Okafor, respectivamente. Ambos não mudaram muito as funções exercidas, só que o atacante entrou mais próximo de Giroud.

Praticamente na sequência às trocas, quem abriu o placar foi o Frosinone. Okafor tentou puxar um contra-ataque e dominou com a mão, falta marcada na intermediária ofensiva dos donos da casa. Eles não demoraram muito para cobrar e Soulé serviu o capitão Luca Mazzitelli, que invadiu a área e bateu cruzado, direto às redes. Maignan poderia ter feito mais no lance.

Sorte para o goleiro francês que o empate Rossonero viria na sequência. Um escanteio curto cobrado por Yacine Adli sobrou para o próprio volante levantar a bola na segunda trave. Giroud subiu mais do que todo mundo e escorou para Gambia fazer.

Já melhor na partida, fazendo trocas ofensivas (colocou outro atacante, Luka Jović), o Milan martelou o Frosinone até virar a partida. Após um bate e rebate, Bennacer cruzou pela esquerda do ataque. A defesa bateu cabeça e a bola sobrou limpinha para Jovićbalançar as redes.

Um fato curioso aconteceu aos 40 minutos. O jovem alemão Arijon Ibrahimović, emprestado pelo Bayern de Munique, entrou no… Frosinone! Vale citar que ele não tem parentesco com o atacante sueco Zlatan, que fez história no Milan.

O time de fora foi inteligente em segurar a bola no fim e não sofreu uma pressão do adversário, confirmando o bom resultado.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Nascido e criado em São Paulo, é jornalista pela Universidade Paulista (UNIP). Já passou por Yahoo!, Premier League Brasil e The Clutch, além de assessorias de imprensa. Escreve sobre futebol nacional e internacional na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo