Serie A

Tudo parecia tranquilo, mas Milan teve que resistir à pressão do Parma para vencer

Após expulsão de Ibra, Parma descontou e buscou o empate até os minutos finais

Não existe tranquilidade no dicionário do Milan. Parecia que a vitória sobre o Parma viria sem grandes sustos neste sábado, mas Donnarumma fez grandes defesas, Zlatan Ibrahimovic foi expulso, Riccardo Gagliolo descontou para os donos da casa e o gigante italiano precisou se segurar até matar a partida nos minutos finais para selar a vitória por 3 a 1.

O triunfo foi essencial para o Milan que viu uma vaga quase certa para a próxima Champions League ser colocada em risco por uma oscilação de resultados. Desde o começo de fevereiro, os rossoneri não conseguem ganhar em duas rodadas consecutivas do Campeonato Italiano.

Após empatar com a Sampdoria no fim de semana anterior, o Milan começou voando. Aos oito minutos, Ibrahimovic fez uma bela jogada na entrada da área. Driblou o marcador e soltou bom passe para Ante Rebic girar e mandar no ângulo com um forte chute de perna direita.

O primeiro tempo terminou com outro gol dos visitantes, e novamente com participação de Ibra. Recebeu de Theo Hernández, devolveu bem e assistiu ao lateral esquerdo servir na medida para Kessié marcar o segundo do Milan.

No começo do segundo tempo, Donnarumma, que mal havia trabalhado até então, teve que fazer uma maravilhosa defesa dupla para evitar o gol do Parma. Primeiro, defendeu a cabeçada de Andrea Conti com a ponta dos dedos. Depois, saiu do gol para abafar o chute de Graziano Pellè à queima-roupa. Juraj Kucka ainda tentou marcar de voleio, mas mandou por cima.

A maré virou quando Ibrahimovic recebeu cartão vermelho por ter aparentemente ofendido o árbitro Fabio Maresca. Momentos depois, para piorar a situação, o Parma descontou com Gagliolo após um toque de cabeça de Pellè na segunda trave.

O Milan foi se segurando na ponta dos dedos pelos 25 minutos finais até que Diogo Dalot arrancou em contra-ataque e serviu Rafael Leão para o gol da vitória que leva o time a 63 pontos, sete a mais que o Napoli, quinto colocado e com um jogo a menos.

.

.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo