ItáliaSerie A

Totti ressurge para salvar o empate da Roma após derrocada incrível contra Atalanta

A Roma entrou em campo para enfrentar a Atalanta precisando de uma vitória para encostar na segunda colocação, já que o Napoli havia perdido para a Internazionale. E começou muito bem essa missão, abrindo 2 a 0 antes da primeira meia hora de partida. Mas muitas vezes uma vantagem dessa não é suficiente para os giallorossi. Em pouquíssimo tempo, ainda mais quando o duelo coloca frente a frente um time da parte de cima da tabela contra outro da parte de baixo, os anfitriões concretizaram a virada. No fim, Francesco Totti ressurgiu das cinzas para salvar um ponto.

LEIA MAIS: A despedida de Totti na Roma se aproxima mais amarga do que imaginávamos

Totti vem sendo muito pouco utilizado nesta temporada, principalmente pelo técnico Luciano Spalletti. Foi titular apenas duas vezes no Campeonato Italiano, e em todas suas partidas pela Serie A, soma meros 285 minutos de jogo, incluindo os 12 da manhã deste domingo. Tem mais 20 pela Champions League. Não marcava um gol desde setembro, quando abriu sua contagem em 2015/16 contra o Sassuolo. A possibilidade de se aposentar ao fim do torneio nunca foi tão forte.

Mas ele ainda tem algumas garrafas vazias para vender, como foi visto contra a Atalanta. Digne abriu o placar, aos 23 minutos, depois de bela tabela com Perotti, e Nainggolan ampliou, pouco depois, em contra-ataque que passou por Dzeko e Salah. A defesa da Roma, porém, estava muito mais concentrado na macarronada da mama no almoço do que na defesa da Atalanta. Gomez surgiu nas costas dos dois zagueiros e cruzou rasteiro. A bola passou por todo mundo, e Marco D’Alessandro descontou, aos 33.

Aos 37, Borriello, quase sem marcação no meio da grande área, completou um escanteio de cabeça para empatar. Essa foi uma partida que fez a torcida da Roma sentir falta do seu ex-jogador. Porque o seu teórico substituto, Dzeko, fez isso aqui pouco depois:

A Atalanta concretizou a virada logo no começo do segundo tempo, novamente com Borriello, e não há lance melhor para simbolizar a fragilidade defensiva da Roma do que esse. Alejandro Gomez fez Rüdiger dançar o tango antes de enfiar a bola para Borriello, na marca do pênalti. O atacante italiano antecipou-se a um sonolento Zukanovic e empurrou para as redes.

Entre Szczesny evitando o terceiro gol de Borriello na partida, e Dzeko perdendo outra chance que um jogador do seu tamanho não deveria perder, nenhuma novidade. Até que Totti entrou em campo, aos 33 minutos da etapa final, e depois de um bate e rebate dentro da área, Florenzi rolou a bola para o capitão pegar de primeira da entrada da área.

 

Totti ainda colocou Dzeko na cara do gol com um lindo passe, mas, a essa altura do campeonato, não sentimos a necessidade de contar como a jogada terminou. 

 

Agora, ao invés de olhar para cima, em busca do Napoli, a Roma tem que se preocupar com a Internazionale, a quatro pontos de distância, faltando cinco partidas para o fim do campeonato. Neste domingo, graças a Totti, porque a derrocada incrível contra a Atalanta poderia ter custado ainda mais caro.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo