Serie A

Roma faz uma aposta no gol ao trazer Olsen, titular da Suécia, para o lugar de Alisson

A Roma já tem um novo goleiro depois da venda de Alisson para o Liverpool. O sueco Robin Olsen, de 28 anos, chega do Copenhague como uma aposta com algum nível de risco. Não pelo preço, já que ele chega por € 8,5 milhões, que representa só uma pequena fatia dos € 62,5 milhões recebidos por Alisson. Olsen terá o desafio de mostrar estar no mais alto nível em uma liga exigente. Como, aliás, fez Alisson quando assumiu a camisa 1, no início da temporada 2017/18 e quando pairavam dúvidas se ele conseguiria se firmar.

LEIA TAMBÉM: Moutinho vai ao Wolverhampton como uma referência nas novas ambições do clube

Além dos € 8,5 milhões pagos por Olsen, há ainda cláusulas de desempenho que podem chegar a € 3,5 milhões e o Copenhague mantém 10% de qualquer lucro feito com a venda do goleiro no futuro. O titular da seleção da Suécia chega a uma grande liga pela primeira vez na carreira. Com 1,98 metro de altura, ele atuou a maior parte da carreira em clubes da Escandinávia. Sua única experiência fora da região foi no PAOK, da Grécia, na temporada 2015/16. Nascido em Malmö, jogou por quatro anos no clube, de 2012 a 2015.

“Estou me sentindo feliz, estou muito empolgado”, afirmou Olsen em sua primeira entrevista ao site da Roma. “É uma grande honra vir para a Roma. É o próximo passo para mim e mal posso esperar para começar”, disse ainda o goleiro, titular da Suécia na Copa do Mundo. Os suecos ficaram conhecidos no Mundial da Rússia pelo sólido sistema defensivo, que já tinha sido usado para superar a Holanda e a Itália nas Eliminatórias da Copa.

“Robin é um goleiro com experiência internacional e eu acho que ele pode trazer esse nível para a Roma com ele”, disse o diretor esportivo Monchi. “Eu estou confiante que ele pode construir a qualidade que ele firmemente estabeleceu como goleiro titular da Suécia”, afirmou ainda o dirigente.

Monchi aposta no seu modelo de gestão: busca jogadores que custam barato para repor as peças vendidas por preço alto, como foi Alisson. Olsen mostrou alguma qualidade, mas é uma incógnita para o nível que Alisson apresentou na temporada passada. Como se sabe que trazer um jogador desse nível seria gastar quase tanto quanto recebeu, Monchi encontrou uma solução mais barata. Olsen tem a grande chance na carreira para se estabelecer em uma liga enorme e com uma alta visibilidade. Dado o histórico de Monchi, vale o voto de confiança.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo