ItáliaSerie A

Palermo tem um sopro de esperança. Ainda dá?

A temporada do Palermo tem sido terrível. Dos 31 jogos, o time perdeu 14, empatou 12 e só venceu cinco. A última delas, neste domingo, deu um pouco de esperança para o time da Sicília. Brigando contra o rebaixamento, a equipe venceu a Sampdoria fora de casa por 3 a 1, se igualou ao Siena, primeiro time fora da zona de descenso, e sonha em sair dessa situação.

O time contou com um protagonista habitual, Fabrizio Miccoli, para construir a vitória, com duas assistências. Só que quem se destacou mais nos roasaneri desta vez foi outro jogador de frente: Josip Ilicic, que marcou um dos gols. Foi um jogador perigoso marcou o segundo gol do jogo. O primeiro foi do zagueiro Steve Von Bergen, antes de Gianni Munari empatar para a Sampdoria. O último gol foi de Santiago Garcia, que atuou na ala esquerda.

O problema para o Palermo é que o time tem jogos complicados pela frente. Na próxima rodada, no domingo que vem, enfrenta o Bologna, em casa, um jogo que terá que vencer. Depois, tem clássico da Sicília com o Catania, no dia 21. No dia 28, o adversário é a Internazionale, ainda sonhando com vaga em competições europeias, em casa. Em seguida o time visita a Juventus, na casa dos bianconeri, no dia 5 de maio. Pode até ser o jogo do título da Velha Senhora, embora seja mais provável que ainda seja decidido mais adiante. Nos três últimos jogos, o Palermo enfrenta Udinese (casa), Fiorentina (fora) e Parma (casa). É possível que se salve, mas precisará de mais vitórias como a deste domingo. E mais atuações de gala como essa de Miccoli e Ilicic.

O time de um homem só: Di Natale, o senhor Udinese

A Udinese já não briga por mais nada na Serie A. Mas o artilheiro e capitão do time, Antonio Di Natale, continua sendo um exímio marcador de gols, o que leva o time à metade superior da tabela. Neste domingo, foi contra o Chievo, em casa. Com dois gols do atacante e uma assistência, os Friulani venceram por 3 a 1 e chegaram a 45 pontos, em nono lugar.

O primeiro gol foi um lance de sorte. O goleiro Christian Puggioni se atrapalhou na hora de dar um chutão para frente, o atacante pressionou e quando o goleiro chutou, a bola bateu no atacante e entrou, aos 20 minutos. Depois, aos 25, ele marcou um gol característico. Recebeu pelo lado esquerdo e soltou um chute improvável, cruzado, de pé esquerdo e indefensável. Foi a vantagem que o time precisou para se garantir.

O Chievo, fraco tecnicamente, não conseguiu ameaçar muito, embora tenha conseguido diminuir ainda no primeiro tempo, com Paul Papp. No segundo tempo, o time de Verona até ficou com a bola mais tempo (55% a 45%), mas chutou poucas vezes a gol. E foi a Udinese que conseguiu mais um gol, em uma jogada do seu artilheiro. Di Natale recebeu pela direita, chegou à linha de fundo e cruzou alto na segunda trave para Mehdi Benatia completar o placar: 3 a 1.

Di Natale chegou a 17 gols e se tornou vice-artilheiro da Serie A, atrás apenas de Edinson Cavani, do Napoli, que tem 22. Setephan El Shaarawy, do Milan, tem 16 e Erik Lamela, da Roma, tem 13, mesmo número de Giampaolo Pazzini.

Confira os resultados da 31ª rodada da Serie A:

Sábado, 6/abr
Juventus 2×1 Pescara
Bologna x Torino

Domingo, 7/abr
Fiorentina 2×2 Milan
Catania 0x0 Cagliari
Sampdoria 1×3 Palermo
Siena 0x0 Parma
Udinese 3×1 Chievo
Internazionale x Atalanta
Napoli x Genoa

Segunda-feira, 8/abr
Roma x Lazio

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo