Serie A

Num jogaço, o Napoli colecionou lindos gols e atropelou a Lazio, coroando um triunfo essencial

O Estádio Diego Armando Maradona abrigou um jogo fundamental no fechamento da rodada da Serie A. Napoli e Lazio aparecem fora da zona de classificação à Champions League, mas são os principais candidatos a bagunçar a briga. O momento dos laziali parecia mais confiável, com uma série de vitórias recentes. Ainda assim, os napolitanos provaram sua força em casa. Foi uma partidaça com sete gols e uma coleção de pinturas, na qual a efetividade dos anfitriões fez toda a diferença. O ataque funcionou muito bem e a equipe de Gennaro Gattuso não só venceu, como também goleou por 5 a 2, dando um passo à frente para colar no G-4.

Os primeiros minutos da partida em Nápoles seriam determinantes. Afinal, o lance que transformou o jogo aconteceu aos cinco minutos. Depois de um escanteio do Napoli, Manuel Lazzari puxou o contra-ataque e caiu na área. O lance foi para a revisão do VAR, mas com um final inesperado. A arbitragem avaliou que o penal não existiu, o que rendeu um amarelo a Lazzari. Porém, viu um pênalti do outro lado, durante a bola alçada pelos napolitanos, em uma disputa na qual Sergej Milinkovic-Savic ergueu o pé e acertou de leve Kostas Manolas. Assim, Lorenzo Insigne foi para a marca da cal e abriu o placar aos anfitriões com sete minutos.

O Napoli aproveitou bem seu momento no início do jogo e não demorou a ampliar. Aos 12, Insigne mandou um belo passe longo a Dries Mertens, que abriu com Matteo Politano na direita. O ponta cortou para dentro e chutou no canto, tirando do alcance de Pepe Reina. A sequência do primeiro tempo veria a Lazio sair mais para o jogo e ficar com a bola, mas sem descontar. Joaquín Correa chegou a carimbar a trave aos 19 minutos. Além disso, Immobile também reclamou de um pênalti que acabou não marcado.

Se a precisão do Napoli já tinha feito a diferença no início do primeiro tempo, ela seria igualmente determinante na volta do intervalo. Foi o momento em que os celestes abriram sua goleada, cirúrgicos em suas investidas em velocidade – e abusando dos belos gols. Piotr Zielinski teve um tento anulado por impedimento. Pouco depois, Meret fez uma defesaça, mas já na sequência viria o terceiro, aos oito minutos. Insigne tabelou com Eljif Elmas pela esquerda e teve uma frieza imensa na definição. De fora da área, o capitão mandou um tapa no ângulo, encobrindo Pepe Reina. Já aos 20, Mertens não ficaria muito atrás. O belga recebeu o passe de Piotr Zielinski e, da entrada da área, emendou um chute seco, novamente acertando a gaveta. Mertens se emocionou na comemoração, apontando aos céus, após perder sua avó na última semana.

Quando a Lazio parecia morta, reviveu antes dos 30 minutos. Os biancocelesti anotaram suas próprias pinturas. O primeiro surgiu numa linda enfiada de Andreas Pereira, que Ciro Immobile definiu com categoria, tirando de Alex Meret. Quatro minutos depois, saiu mais um. Milinkovic-Savic cobrou uma falta com efeito e mandou no alto, sem que Meret evitasse. No entanto, o Napoli definiu o placar aos 35, com o quinto gol a partir de uma bola roubada no ataque. Hirving Lozano serviu e Victor Osimhen invadiu a área, batendo forte. O restante do jogo ainda foi aberto, sem que os laziali desistissem, mas também com o sexto napolitano quase saindo.

O Napoli chega aos 63 pontos na Serie A. São três partidas de invencibilidade da equipe de Gennaro Gattuso, que volta a se aproximar do G-4, atualmente na quinta posição. O Milan tem 66 pontos, enquanto Juventus e Atalanta somam 65. Já a Lazio perde o momento depois de cinco vitórias consecutivas. Os laziali param com 58 pontos, mas pelo menos possuem uma partida a menos em reação aos concorrentes.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo