Serie A

Napoli e Juventus fazem o clássico dos desesperados

Napoli, péssimo na temporada, e Juventus, em queda livre na Serie A, se enfrentam neste domingo tentando se livrar do desespero

Praticamente 20 pontos separam Napoli e Juventus na tabela da Serie A. Os rivais históricos, representantes clássico de, respectivamente, Sul e Norte da Itália, eles estão bem distantes na tabela, mas muito próximos em um fator: o desespero que tomou conta de ambas as torcidas e times nesta reta final de temporada. Neste domingo, pelo Campeonato Italiano, se encontram com um objetivo em comum: tentar chutar para lá a crise que os atingiu com força neste começo de 2024.

O Napoli fez no meio da semana seu jogo atrasado contra o Sassuolo, fruto de sua ida à Arábia Saudita para jogar a Supercopa da Itália. Nada que tenha mudado drasticamente sua vida, já que a zona de classificação à próxima edição da Champions League segue distante, assim como até mesmo as possibilidades de vagas para a Liga Europa e Conference League. Aos napolitanos, nesta temporada, resta focar tudo na Champions, onde seguem vivos após terem empatado o jogo de ida das oitavas de final contra o Barcelona.

Já para a Juventus uma temporada que vinha sendo excelente até meados de janeiro se tornou em um pesadelo durante fevereiro. A Velha Senhora não só perdeu seu confronto direto (e as chances de título) contra a Internazionale, como ficou em uma seca de quatro jogos sem vitória no Campeonato Italiano e viu a Inter disparar, assim como o Milan se aproximar e ter chances reais de roubar sua segunda colocação na tabela da Serie A. Vencer o Napoli é o antídoto para se livrar dessa crise.

Como o Napoli chega para o jogo contra a Juventus

A temporada do Napoli tem sido uma tormenta e tanto. Atual campeão da Serie A, o time perdeu o técnico Luciano Spaletti para a seleção italiana e, desde então, simplesmente desandou de vez. Foi humilhado na Copa da Itália, sendo eliminado pelo frágil Frosinone, em casa, com uma goleada por 4 a 0; não conseguiu em momento algum sair do meio da tabela do Campeonato Italiano e é um dos piores defensores de scudetto da história. Agora, tem a Juventus pela frente para tentar se recuperar.

Por mais que não seja uma sensação recíproca, a Juventus é a maior rival do Napoli na cabeça dos napolitanos e representa tudo que os torcedores mais odeiam (spoiler: o norte do país). Se quiser ter chances de se classificar a alguma competição europeia na próxima temporada, vencer a Juve é uma obrigação para os partenopei e pode ajudar a apagar a imagem ruim que a péssima campanha até agora no Campeonato Italiano deixou.

Além disso, rivalidades à parte, vencer alguém do topo da tabela é um desafio que o Napoli precisa cumprir para mostrar que tem chances na série de duelos diretos que fará contra concorrentes pelas vagas nas competições da Europa. Até o final do Campeonato Italiano, o Napoli ainda enfrenta a virtual campeã Internazionale, além de Atalanta, Roma, Bologna e Fiorentina, todos estes concorrentes diretos por vagas na Champions League, Liga Europa ou Conference League.

Como a Juventus chega para o jogo contra o Napoli

Após uma horrível e vergonhosa sequência de cinco jogos sem vitória, sendo aí duas derrotas e uma delas para a líder Internazionale, a Juventus voltou a vencer na última rodada, quando bateu o Frosinone. O 3 a 2, resultado apertado, no entanto, deixou claro uma coisa: a Velha Senhora está longe, mas muito longe de seus piores dias e, agora, tem visto até sua defesa, que aind segue entre as melhores da Serie A, estar muito mais vulnerável.

Na sequência de quatro jogos sem vitória a juventus levou cinco gols e fez apenas três, tendo levado mais dois e feito mais três contra o Frosinone. O que preocupa, no entanto, não é apenas o desempenho em números, mas a falta de criatividade em campo e a dependência, neste momento, de Dušan Vlahović. Contra o Frosinone, ele fez dois gols e deu o passe para o terceiro, marcado aos 50 minutos do segundo tempo, e que evitou o quinto jogo seguido sem vitória para a Juve.

Dušan Vlahović começou o ano apagado, mas já voltou a ser, disparado, o melhor jogador da Juventus. Na atual edição da Serie A, ele participou de 23 partidas, sendo 18 como titular, e já marcou 15 gols e deu quatro assistências. O desempenho reacendeu a esperança do torcedor juventino no atacante sérvio, mas apenas uma andorinha é muito pouco para fazer verão na Velha Senhora.

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo